Polícia

Suspeito de envolvimento na morte de motorista por app em Rio Novo se entrega à polícia

Redação TNH1, com TV Pajuçara | 20/06/22 - 18h05

O último suspeito foragido de participar do latrocínio do motorista por aplicativo Daniel Rubens Pereira Brandão, de 30 anos, ocorrido no início do mês, no Rio Novo, em Maceió, se entregou nesta segunda-feira, 20, à Polícia Civil. Após pedido da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), a Justiça tinha decretado a prisão preventiva de Dorkas Almeida da Silva, conhecido pelo apelido de DK, que se entregou hoje.

"Ele havia tido a prisão preventiva decretada pelo juiz plantonista, justamente por conta das evidências que constam no inquérito policial acerca do seu envolvimento. De acordo com relatos e provas produzidas, ele estaria dentro do veículo que era conduzido pela vítima até o bairro Rio Novo, onde aconteceu o assalto e consequentemente os disparos de arma de fogo na vítima, que culminaram com sua morte no local. Agora foi preso o último envolvido no crime. Estamos efetuando o cumprimento da prisão preventiva, ele será enviado ao Sistema Prisional e depois passará por depoimento. O caso segue para a Justiça, o inquérito está sendo finalizado para que o Ministério Público inicie a ação penal e assim eles sejam julgados por esse crime covarde", disse o delegado Thiago Prado em entrevista ao programa Fique Alerta, da TV Pajuçara. 

A investigação apontou que DK teve participação direta no crime. Ele teria ficado com o aparelho celular da vítima e a arma utilizada no latrocínio. O nome do envolvido foi, inclusive, citado por um dos investigados, preso há duas semanas, numa ação da DHPP com o suporte do Grupamento Aéreo e do Tático Integrado de Grupos de Resgates Especiais (TIGRE).

Morte do motorista - O motorista por aplicativo Daniel Rubens Pereira Brandão, de 30 anos, foi encontrado morto na manhã da quarta-feira, 8, dentro do carro que ele utilizava para o trabalho, na Rua da Areia, no bairro do Rio Novo, em Maceió. Ele foi assassinado na noite anterior. Dois dias depois, a polícia prendeu G.P.S.J. e L.C.P.S., ambos de 19 anos, numa residência do conjunto Virgem do Pobres III, no Vergel do Lago.

A investigação apontou que os suspeitos estavam juntos no dia do crime e tramaram cometer assaltos contra um motorista por aplicativo. Para isso, L.C.P.S. falou com um adolescente de 16 anos, com quem mantinha contato nas redes sociais, para pedir uma corrida nestas plataformas de transporte. O menor atendeu à solicitação para a rota Vergel/Rio Novo. 

Sem saber o que lhe esperava, Daniel aceitou a viagem e pegou os criminosos no local indicado. No destino, eles anunciaram o assalto e exigiram o dinheiro e o aparelho celular da vítima. Como disse que não tinha, o motorista foi atingido por seis disparos à queima-roupa e morreu na hora.