Polícia

Suspeito de fraudar concurso da PM, homem que foi detido por desacato é preso preventivamente

Redação TNH1 | 16/09/21 - 15h29 - Atualizado em 16/09/21 - 15h53

Um homem suspeito de fraudar o concurso da Polícia Militar (PM) foi preso preventivamente pela Polícia Civil (PC), nessa quarta-feira (15).  O suspeito figurou entre as primeiras colocações para o cargo de soldado, com 100 acertos, de 120 questões colocadas à disposição dos concurseiros. O curioso é que ele teria marcado no gabarito apenas as respostas dos 100 questionamentos, deixando 20 quesitos em branco.

De acordo com o delegado Gustavo Xavier, da Divisão Especial de Investigação Criminais (Deic), a prisão foi decretada pela 17ª Vara Criminal, em virtude dele ter praticado os crimes de fraude a concurso público, bem como de organização criminosa. "As investigações sobre a fraude do concurso da PM ainda estão em andamento. Ontem prendemos preventivamente o suposto fraudador do concurso que foi conduzido na última sexta, dia 10, em razão de estar comemorando a aprovação de forma desordeira, além de ter desacatado os PMs que o abordaram", disse.

Esse suspeito foi detido por policiais do Batalhão de Polícia de Guarda (BPGd), na sexta-feira, 10, por desacato após denúncia de volume de som abusivo no bairro de Santa Lúcia, parte alta de Maceió. Na ocasião, foi lavrado apenas um Termo Circunstaciado de Ocorrência (TCO) e ele tinha sido liberado. O que chamou a atenção dos militares foi o fato de ele ter se apresentado como um dos candidatos aprovados no concurso da Polícia Militar de Alagoas (PM-AL) A imprensa teve acesso à ficha criminal do suspeito e constatou ao menos sete prisões. Os policiais também tomaram conhecimento sobre o grau de escolaridade do homem, que não se enquadra no requisito exigido para ingressar na PM-AL. 

Concurso suspenso - A Secretaria de Estado do Planejamento, Gestão e Patrimônio (Seplag) anunciou ontem, 15, que estão suspensas temporariamente as próximas fases do concurso da Polícia Militar de Alagoas, em decorrência da investigação sobre possível fraude na realização do certame.