Polícia

Suspeito de matar motorista de aplicativo em 'queima de arquivo' é preso na Bahia

Erik Maia | 01/11/19 - 11h36 - Atualizado em 01/11/19 - 11h36
Carro foi abandonado próximo a entrada do Francês. | Reprodução Real Deodorense

Um homem foi preso nessa quinta-feira (31), na cidade de Camaçari, na Bahia, suspeito de assassinar o motorista Antônio Victor Neto, em setembro de 2018, após uma corrida por aplicativo de transporte do Francês, em Marechal Deodoro, até a Barra de São Miguel, no Litoral Sul de Alagoas.

Eduardo dos Santos Leão Silva, conhecido como “Ureia” ou “Carlinhos”, de 19 anos, foi preso em cumprimento a mandado de prisão. De acordo com a polícia, ele estava escondido na cidade baiana. Antônio teria sido morto em uma "queima de arquivo", por ter presenciado o assassinato de uma outra pessoa, Emerson Lucas da Silva, de 23 anos, que pertencia a um grupo rival ao do autor do crime.

De acordo com o delegado regional da São Miguel dos Campos, João Marcello, na noite do crime, o grupo de Eduardo havia solicitado a corrida para a cidade vizinha e, chegando lá, assassinaram Emerson a tiros. Após o crime, o grupo seguiu com Antônio, que dirigia o carro, até a zona rural da cidade de Roteiro, onde o colocou de joelhos e efeutou dois disparos de arma de fogo na nuca da vítima.

Antônio teria presenciado o assassinato de Emerson. Foto: Acervo Pessoal

O corpo de Antônio foi encontrado na manhã do dia seguinte à morte de Emerson. Ele foi deixado em uma mata às margens da rodovia AL-101, depois da praia do Gunga, no município de Roteiro, Litoral Sul de Alagoas.

Já o carro dele, um Chevrolet Celta, de cor vermelha e placas OHG-1931, foi abandonado um pouco antes da entrada do Francês, próximo a AL-101 Sul, em Marechal Deodoro.

Eduardo dos Santos Leão Silva foi levado para a carceragem da Delegacia Regional de São Miguel dos Campos, onde permanecerá à disposição da Justiça.