Futebol Internacional

Técnicos de País de Gales e Bélgica mostram preocupação com craques rivais

Os galeses tem o meia Eden Hazard; mesmo temor dos belgas com o atacante Gareth Bale

01/07/16 - 15h12 - Atualizado em 01/07/16 - 15h15

Os treinadores das seleções de País de Gales e Bélgica, que se enfrentam nesta sexta-feira pelas quartas de final da Europa, em Lille, na França, mostraram enorme preocupação nesta quinta com os craques rivais na luta por uma vaga na semifinal contra Portugal. Os galeses tem o meia Eden Hazard; mesmo temor dos belgas com o atacante Gareth Bale.

Chris Coleman, técnico galês, alertou sobre a importância de não darem espaço para os homens de criação da Bélgica, especialmente Hazard, do Chelsea. "Vamos duelar contra um adversário que é muito perigoso do meio de campo para o ataque, pois se mexe com grande facilidade, tem movimentação e muita qualidade. Não podemos permitir que eles possam deslizar no nosso setor defensivo. Não podemos dar espaços. Se conseguirmos neutralizar isso, temos grandes chances de vencer", disse em entrevista coletiva nesta quinta-feira.

No lado da Bélgica, a preocupação gira em torno de Bale. Porém, o técnico Marc Wilmots alertou que o rival não se limita apenas ao astro merengue e pediu muita atenção. "País de Galês realmente tem Bale, que desequilibra. Porém, tem outros jogadores importantes, pois não aposta em talentos e sim em um jogo coletivo digno de aplausos. Por isso que chegaram até aqui e a Bélgica vai ter que jogar muito mais do que jogou contra a Hungria para avançar", avaliou.

Os belgas têm dois desfalques para a defesa: Vermaelen, suspenso por acúmulo de cartões amarelos, e Verthongen, que sofreu uma grave lesão no tornozelo. Desta forma, Ciman e Denayer devem entrar como titulares.