Polícia

Teotônio Vilela: acusado de matar professor é condenado a mais de 22 anos de prisão

Ascom PC | 16/06/21 - 11h54 - Atualizado em 16/06/21 - 12h04
Ascom PC

O delegado Arthur César informou, nesta quarta-feira (16) que o acusado de matar o professor Ailton Rossiter foi condenado a mais de 22 anos de prisão, inicialmente em regime fechado.

O crime ocorreu na madrugada do dia 2 de outubro de 2020, após o professor e o acusado saírem de um bar da cidade.

Depois de saírem do bar, o professor não foi mais visto na cidade. Durante buscas, o professor foi encontrado morto numa área de plantação de cana-de-açúcar.

As suspeitas logo recaíram sobre o acusado, pois foi a última pessoa a ser vista com a vítima.

A partir de depoimentos de testemunhas, como de uma vizinha do acusado, da cunhada deste e do dono do bar, a Polícia Civil conseguiu provar que o acusado teria matado o professor para roubar dele a carteira, o celular e a motocicleta.

O suspeito foi preso no dia 7 de outubro de 2020, na zona rural da cidade de Junqueiro-AL, em uma operação da Polícia Civil de Teotônio Vilela e de Junqueiro, com o apoio da Guarda Municipal de Junqueiro.

Como a decisão ainda cabe recurso, o nome do acusado não será divulgado.

Atuaram no processo o promotor Rodrigo Soares e os juízes Allynson Amorim e Raul Cabus.