Cultura

Tequilla Bomb lança clipe que mostra realidade dos jangadeiros da Lagoa Mundaú; assista

Assessoria | 15/08/19 - 16h38 - Atualizado em 15/08/19 - 16h52

“Sistema de Som, Denúncia e Elevação Espiritual”. Esse é título do segundo álbum do trio de música eletrônica alagoano Tequilla Bomb, que, baseado nesses conceitos, lançou o clipe da música “Na minha jangada”, gravado na Lagoa Mundaú, em Maceió. O vídeo está disponível no canal do YouTube do grupo de dancehall, e foi lançado de forma exclusiva pelo portal Tenho Mais Discos Que Amigos.

A ideia por trás do videoclipe é mostrar a realidade de um pescador em sua jangada, e a resistência dos jangadeiros que sobrevivem da pesca na região da Comunidade Sururu de Capote, localização escolhida pelo vocalista Toninho ZS, que definiu o lugar por conta de sua vivência e conhecimento da Zona Sul da capital Alagoana.

“Tivemos que gravar na Lagoa Mundaú pelo que ela representa ao Tequilla Bomb e a todos os envolvidos neste trabalho. Também gravamos em ilhas próximas do local; uma delas é chamada pelos moradores de ‘ilha dos escravos’, que, segundo relatos, foi cenário de passagens delicadas durante o período da escravidão. Pelo fato de a ilha estar abandonada, conseguimos achar destroços e marcas do ano de 1828 por lá”, explicou o produtor e diretor, Izael Filipe.

A produção da música começou em meados do segundo semestre de 2017; na época, o trio ainda estava fechando o setlist para a gravação do novo CD. “A estrutura dessa música é marcada por uma base de reggae dub digital e o peso da percussão orgânica. A letra foi bem certeira dentro do conceito do nosso álbum, que além de denunciar os problemas e injustiças, que estão diariamente nos sufocando, também tem uma mensagem de positividade e elevação de espírito”, pontuou Carlos Peixoto, beatmaker.

O vídeo, que surgiu a partir de uma ideia do Izael, contou com a participação de um amigo dos músicos, Fabiano Costa da Silva, conhecido como “Negaça”, que é morador da comunidade, e é apresentado como protagonista do clipe. Além disso, também teve a participação especial do percussionista Leonardo Bulhões.

Assista:


Ficha técnica:

Artista: Tequilla Bomb;

Música: Na minha jangada;

Álbum: Sistema de Som, Denúncia e Elevação Espiritual;

Ano: 2018;

Produção e Direção: Izael Filipe;

Assistente de Produção: Leonardo Vicente;

Imagens aéreas (feitas com drone): Guga Lamenha;

Fotos: Pedro Moura;

Fotos de making of: Caio Sibaldo;

Elenco: Fabiano Costa (Negaça), Josivaldo Costa (Bigode), José Murilo Barbosa e Leonardo Bulhões;

Assessoria de imprensa: João Arthur Sampaio e Karina Dantas.

Agradecimentos: Felipe Miranda, Tony Aiex, João Arthur Sampaio, Pedro Moura, Karina Dantas, Leonardo Vicente, Leonardo Bulhões e a todas e todos os diamantes da sul.

 

Tequilla Bomb é: Carlos Peixoto, Toninho ZS e Bruno Brandão.

Sitewww.tequillabomb.com.br

SoundCloud: https://bit.ly/2EYEVDT

Spotify: https://spoti.fi/2SAHVZX

Deezerhttps://bit.ly/2SCqnwE

YouTube: https://bit.ly/2RqX7r6

Tequilla Bomb e o novo disco

O Tequilla Bomb é um trio de música eletrônica de Maceió – AL, formado em meados de 2011 com influências em ritmos jamaicanos. A música “Na minha jangada” é a sétima faixa do segundo CD do grupo de dancehall alagoano: “Sistema de som, denúncia e elevação espiritual”.

De acordo com o escritor e professor da Universidade Federal de Alagoas (Ufal), Victor de Almeida – responsável por parte do portfólio do disco –, o álbum retrata uma periferia que prega a união, antenada com os desafios políticos do Brasil e do mundo. “Afirmar-se como periferia não é negar o centro, mas lutar pelo reconhecimento e respeito da borda, da margem, da favela, e a periferia aqui se une através das sonoridades latinas, caribenhas, jamaicanas e alagoanas”, concluiu.