Maceió

Trabalhadores da Veleiro fecham Avenida Fernandes Lima para cobrar salários

Eberth Lins | 03/08/20 - 09h15 - Atualizado em 03/08/20 - 15h35
Foto: Cortesia

Rodoviários da empresa Veleiro bloquearam a Avenida Fernandes Lima, em Maceió, na manhã desta segunda-feira (03). Os trabalhadores protestam contra salários atrasados e indenizações. 

O ato está sendo realizado em frente ao Centro Educacional de Pesquisa Aplicada (Cepa), o que acabou travando o trânsito.

"A empresa está com quatro meses de salários atrasados, demitiu 146 trabalhadores e até agora não pagou as indenizações e ainda deve cinco meses do custeio dos planos de saúde dos trabalhadores",  detalhou o presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários do Estado de Alagoas (Sinttro-AL), Sandro Régis.

Ainda de acordo com o presidente do Sindicato, a entidade conseguiu na Justiça a reintegração de 85 trabalhadores, o que não teria sido cumprido pela empresa.

"A demissão aconteceu em abril e logo em seguida conseguimos na Justiça que os rodoviários tivessem de volta seus postos de trabalho. A decisão, no entanto, ainda não foi cumprida e os trabalhadores seguem em situação difícil sem salários e indenizações", explicou.

Protesto em Rio Largo 

Na madrugada desta segunda, trabalhadores também realizaram um protesto em frente à garagem da empresa, em Rio Largo, região metropolitana de Maceió. O protesto foi interrompido pelo Gerenciamento de Crise da Polícia Militar. 

Trabalhadores acusam a polícia de truculência e dizem ter sido atingidos por balas de borrachas e bombas de efeito moral. Veja vídeo.

A Veleiro se manifestou através de nota, enviada pela advogada da empresa. Confira na íntegra:

NOTA OFICIAL VELEIRO

A empresa Veleiro vem se manifestar sobre o episódio que ocorreu na garagem de Rio Largo/AL, provocado pelo Sindicato dos Rodoviários. Primeiramente, a empresa Veleiro informa que é contra qualquer tipo de violência para com todos seus funcionários e ex-funcionários. No entanto, a situação ocorrida no dia 03 de agosto de 2020 é bastante preocupante, haja vista a violência que os Sindicalistas e ex-funcionários vêm causando para aqueles que laboram na empresa Veleiro.

Infelizmente, houve episódio de funcionários ligados ao Sindicato que apedrejaram funcionários que estavam indo trabalhar, vindo a machucar um funcionário. Além disso, houve vários ônibus apedrejados e pneus murchados com o fito exclusivo de comprometer a operação da frota em Rio Largo/AL e causar prejuízo à empresa.

Com efeito, a Veleiro operou conforme determinado pela ARSAL e informa que não houve faltas de seus empregados.

A Polícia Militar de Alagoas foi acionada para conter os ânimos alterados dos Sindicalistas que, a todo o momento, impediram a circulação dos ônibus e criaram um mal estar local.

Todas as medidas administrativas e judiciais estão sendo tomadas para que seja possível o retorno normal da operação.

Por fim, a empresa comunicará o Ministério Público do Estado de Alagoas para apuração dos crimes cometidos no dia de hoje.

O TNH1 também entrou em contato com a Polìcia Militar para apurar a denúncia de truculência e aguarda uma resposta.