Alagoas

TRE-AL e WhatsApp debatem fake news no período eleitoral

30/07/18 - 13h46 - Atualizado em 30/07/18 - 16h37

O Tribunal Regional Eleitoral de Alagoas recebeu, na tarde desta segunda-feira (30), representantes do aplicativo WhatsApp, para reunião com a Comissão de Propaganda do tribunal, com o objetivo de discutir o combate a notícias falsas.

Os desembargadores eleitorais questionaram a retirada de conteúdos da rede e a utilidade das novas ferramentas do aplicativo.

Camila Maruyama e Carolina Deluiz, advogadas do WhatsApp, explicaram que é possível fazer bloqueio de uma conta, um grupo ou mesmo de uma mídia dentro do aplicativo, necessitando apenas do número de telefone que originou as mensagens.

 “O WhatsApp registra os seus usuários através do seu telefone e nome social. Então, a única forma de identificá-lo e localizá-lo é através do número”, disse Maruyama.

Segundo ela, se tratando de grupos, é necessário junto à denúncia o envio de um convite de entrada para o suporte do aplicativo. Quanto às mídias (imagens, vídeos, documentos e outros), o usuário precisa obter o seu código identificador.

As advogadas afirmaram que o aplicativo estabeleceria um contato direto com o tribunal, para atender as demandas da comissão, composta pelos desembargadores eleitorais Gustavo de Mendonça Gomes, Davi Antônio Lima Rocha e Maria Valéria Lins Calheiros.

*Estagiária sob supervisão da editoria