Polícia

Trio que matou comerciante diz que vítima vendeu carro com placa adulterada

João Victor Souza | 02/04/20 - 10h18 - Atualizado em 02/04/20 - 11h02
Cortesia ao TNH1

Os três presos suspeitos de matar o comerciante José da Silva Maia Neto, de 42 anos, no bairro de Serraria, na noite desse 1º de abril, disseram, em depoimento à polícia, que o crime foi cometido por causa da negociação do veículo usado por eles no crime, um Voyage branco. Segundo o trio, o carro apresentava placa adulterada, informação que teria sido omitida pela vítima durante a venda. 

O delegado Francisco Medson Maia, da Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), confirmou ao TNH1 que dois dos atiradores eram agentes de segurança e deram a mesma versão às autoridades.

"Eles falaram que teria sido pela negociação de um veículo. A vítima teria vendido o veículo apreendido em posse dos criminosos [carro Voyage] para um deles. E este veículo é irregular. É um "clone" de um outro carro. Mas esta versão será melhor investigada", revelou o delegado.

Os suspeitos foram identificados como Alex Alves de Oliveira, policial militar de 32 anos, Bruno Luciano Balliano, 37 anos, que trabalhava como policial penal, e Dirceu de Oliveira Souza, de 58 anos e de profissão não informada. Eles seguem na sede da DHPP, em Chã de Bebedouro.

O delegado também afirmou que está próximo de concluir o procedimento institucional para encaminhá-lo à Justiça. O caso está sendo investigado pela DHPP.

O crime

Três homens armados chegaram ao mercadinho no qual a vítima era proprietária, num Voyage branco, e atiraram contra José Maia. As balas atingiram a cabeça, o pescoço e as costas do comerciante, que caiu de joelhos próximo a uma prateleira de salgados, morrendo dentro do local. 

Policiais do Batalhão de Radiopatrulha, que estavam próximos do estabelecimento, ouviram os tiros e perceberam a correria de populares. Eles perseguiram os criminosos e participaram de uma intensa troca de tiros até a rendição do trio. 

Alex Alves, Bruno Luciano e Dirceu foram detidos em flagrante e levados para a delegacia. O carro e as armas que estavam em posse dos suspeitos foram apreendidas na ação que chamou a atenção dos moradores do bairro. Apesar do susto, não houve registro de inocentes feridos.