Saúde

Unidades de Saúde encerram campanha de vacinação contra Influenza e Sarampo nesta sexta

Secom Maceió | 02/06/22 - 16h55
Gabriel Moreira / Secom Maceió

Termina nesta sexta-feira (3) a campanha de vacinação contra a Influenza e o Sarampo em Maceió. Com início no dia 4 de abril, as duas campanhas tiveram o objetivo de reduzir a circulação dos vírus e, consequentemente, o número de hospitalizações devido às doenças. Na capital, os grupos prioritários da campanha correspondem a 362.509 pessoas aptas a receber a vacinação contra a Influenza e 101.324 para o sarampo.

Apesar de ter durado quase dois meses, a cobertura dos dois imunizantes não atingiram números satisfatórios. De acordo com último levantamento da Gerência de Imunização da Secretaria de Saúde de Maceió, de 58.928 crianças de 6 meses a menores de 5 anos, apenas 18,13% foram imunizadas. Gestantes e puérperas estão com 16,26% e 8,58%, respectivamente, das mulheres vacinadas. Dos idosos, que correspondem a 124.338 pessoas, somente 36,37% receberam a dose contra a gripe. Já dos trabalhadores da saúde, 53,63% foram imunizados contra a Influenza.

Em relação aos índices para o sarampo, de 42.396 trabalhadores da saúde, apenas 6,21% foram imunizados e das 58.928 crianças, apenas 13% atenderam ao chamado e foram se vacinar nas unidades de saúde.

A enfermeira da Gerência de Imunização de Maceió, Camila Peixoto, destaca a importância da vacinação contra a Influenza. “Todos os anos, a vacina contra a Influenza é atualizada com os vírus que estavam em circulação nos anos anteriores. Então essa nova vacina, que é trivalente, protege não só contra o h1n1 e a Influenza B, que causa a gripe comum, também contra a h3n2 que circulou em 2021, quando teve aquele surto da doença e que acabou sendo confundido com casos de Covid-19”, explica.

“Por isso, as pessoas devem se vacinar em nossas Unidades de Saúde, ainda dá tempo de garantir a proteção tanto contra a Influenza quanto contra o Sarampo, que são doenças sérias e que podem gerar consequências graves e até hospitalizações”, completa a enfermeira Camila Peixoto.

A meta definida pelo Ministério da Saúde é imunizar, pelo menos, 90% de cada um dos grupos prioritários contra a Influenza e 95% do público-alvo contra o Sarampo. As únicas contraindicações para a aplicação das vacinas são para pessoas que possuem alergia à proteína do ovo ou que apresentaram reação severa (anafilática) ao tomar a vacina em campanhas anteriores.

Sarampo - A enfermeira da Gerência de Imunização, Camila Peixoto, explica que a vacinação contra o Sarampo foi direcionada apenas a crianças e trabalhadores da saúde. “Lembrando que apenas os profissionais de saúde que não estavam com o ciclo vacinal completo se vacinaram durante a campanha, ela não foi feita de forma indiscriminada, na Unidade de Saúde foi avaliada a necessidade de aplicação dessas doses”, conclui.