Maceió

Vacinação contra a Covid em Maceió tem a volta do 'Corujão'; veja público e horários

TNH1 com informações da Secom Maceió | 28/09/21 - 11h33 - Atualizado em 28/09/21 - 11h57
Gabriel Moreira/Secom Maceió

A capital alagoana segue com a vacinação contra a Covid-19 com o oferecimento das primeiras, segundas e terceiras doses para a população. De terça (28) a sábado (02), o público agora tem a opção do Corujão da Vacina, nos shoppings Pátio e Maceió (Cidade Universitária e Mangabeiras), e nos dois drive-thrus (Jaraguá e Serraria), de 9h às 21h. Os postos fixos também estarão à disposição dos maceioenses, de 9h às 16h.

Segundo a Prefeitura de Maceió, os adolescentes de 12 a 17 anos com e sem comorbidades, e remanescentes adultos, podem receber a aplicação da primeira dose em qualquer uma das unidades. A imunização também está liberada para os adultos que forem tomar a vacina pela segunda vez. E a dose de reforço continua disponível para idosos de 70 anos ou mais com pelo menos seis meses depois da segunda dose e imunocomprometidos com pelo menos 28 dias após a segunda dose.

Além dos quatro pontos do Corujão, os maceioenses podem procurar a Praça Padre Cícero (Benedito Bentes), Ginásio Arivaldo Maia (Jacintinho), Papódromo (Vergel) e no Terminal do Osman Loureiro (Clima Bom). A segunda dose das vacinas Astrazeneca e Pfizer pode ser antecipada em até dez dias em qualquer um dos oito pontos fixos de vacinação. A segunda dose da Astrazeneca também pode ser agendada em 20 unidades de saúde. A segunda dose da Coronavac está disponível em todos os pontos a partir da data marcada no calendário de vacinação.

Terceira dose para pessoas acamadas - As pessoas acamadas que tomaram a primeira e a segunda doses em Maceió e já estão cadastradas na base de dados da Prefeitura com essa condição serão contatadas e atendidas pelas equipes de vacinação extramuros. As que vieram a ficar acamadas ao longo desse período precisam ligar para o número 3312-5589 e se cadastrar para receber a equipe de vacinação em casa. 

Idosos institucionalizados - A aplicação da dose de reforço para idosos que vivem em abrigos terá início na segunda-feira (27), às 9h, com atendimento às mulheres de 60 anos ou mais que moram na Casa para Velhice Luíza de Marilac, na Santa Amélia. Idosos institucionalizados recebem a vacinação nos abrigos em que vivem, seguindo programação ajustada entre as instituições e a Gerência de Imunização de Maceió. 

Intercambialidade para terceira dose - A Nota Técnica n° 43/2021 do Ministério da Saúde recomenda a intercambialidade entre vacinas para terceira dose. Ou seja, todo esse público tomará vacinas diferentes das que foram administradas nas doses anteriores. Quem tomou as duas doses da Coronavac e da Astrazeneca tomará a terceira dose da Pfizer, já quem tomou as duas doses da Pfizer tomará a dose complementar da Astrazeneca.

Documentos necessários - Para se vacinar com a primeira dose, é necessário apresentar certidão de nascimento ou documento de identificação com foto, CPF e comprovante de residência (original e cópia).

Para a segunda dose, basta apresentar o documento de identificação com foto e o cartão de vacinação. Quem perdeu o cartão pode solicitar a segunda via no posto onde tomou a primeira dose.

Pessoas com deficiência visual que, ao tomar a primeira dose, tenham recebido o cartão convencional, podem solicitar a substituição pelo cartão em braile no ponto onde forem tomar a segunda.

Para se vacinar com a terceira dose, pessoas idosas devem apresentar documento de identificação com foto, comprovante de residência (não precisa cópia) e o cartão de vacinação com as informações da etapa anterior. Pessoas imunocomprometidas devem apresentar, além do documento de identificação e do comprovante de residência, um dos citados a seguir: Prescrição médica com justificativa; Exames específicos que estabeleçam o diagnóstico; Relatório médico; Receitas para terapêutica específica de condições descritas; Guia de Encaminhamento específico.

Imunossuprimidos que devem tomar a terceira dose - Imunodeficiência primária grave; Quimioterapia para câncer; Transplantados de órgão sólido ou de células tronco hematopoiéticas (TCTH) uso de drogas imunossupressoras; Pessoas vivendo com HIV/AIDS; Uso de corticóides em doses ≥20 mg/dia de prednisona, ou equivalente, por ≥14 dias; Uso de drogas modificadoras da resposta imune (vide tabela 1); Auto inflamatórias, doenças intestinais inflamatórias; Pacientes em hemodiálise; Pacientes com doenças imunomediadas inflamatórias crônicas.

Drogas modificadoras da resposta imune e doses consideradas imunossupressoras - Metotrexato; Leflunomida; Micofenolato de mofetila; Azatiprina; Ciclofosfamida; Ciclosporina; Tacrolimus; Mercaptopurina; Biológicos em geral (infliximabe, etanercept, humira, adalimumabe, tocilizumabe, Canakinumabe, golimumabe, certolizumabe, abatacepte, Secukinumabe, ustekinumabe); Inibidores da JAK (Tofacitinibe, baracitinibe e Upadacitinibe).