Maceió

Vacinação: não utilizar luvas é recomendação do Ministério da Saúde

Secom Maceió | 27/03/20 - 10h31 - Atualizado em 27/03/20 - 17h52
Vacinação contra a Influenza está acontecendo no estacionamento dos shoppings Maceió e Pátio, além de unidades de saúde e quatro escolas | Pei Fon / Secom Maceió

Durante a campanha de vacinação contra o vírus da influenza, os profissionais de saúde foram orientados pelo Ministério da Saúde a não utilizarem luvas. Isso porque, diante da situação de emergência em saúde em razão da Covid-19 (coronavírus), com as luvas seria necessário trocá-las a cada paciente atendido, por isso a orientação é o uso de álcool em gel e a frequente lavagem das mãos com sabão.

A Campanha imuniza contra três vírus da influenza e tem o objetivo de reduzir as complicações, internações e mortalidades em decorrência das infecções causadas por três tipos do vírus da influenza. Antecipada por determinação do Ministério da Saúde, a intenção é auxiliar os profissionais das unidades de saúde a descartarem a Influenza na triagem de casos para o coronavírus.


Foto: Pei Fon / Secom Maceió

Para evitar aglomerações nas unidades de saúde e proporcionar mais conforto aos usuários, a Gerência de Imunização da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) adotou o modelo de vacinação drive-thru, um sistema para que os usuários sejam imunizados dentro de seus veículos. O modelo foi implantado nos shoppings Maceió, na Jatiúca, e Pátio, no Benedito Bentes, ambos funcionam das 8h às 16h30.

Além das unidades de saúde e destes pontos de vacinação nos shoppings, escolas municipais também ajudam a descentralizar esses atendimentos.

Confira

– Escola Municipal Zaneli Caldas (Poço- Praça da Maravilha), das 8h às 12h e das 13h às 17h.

– Escola Municipal Nosso Lar I (Ponta Grossa), das 8h às 12h e das 13h às 17h.

– Escola Municipal Paulo Henrique Costa Bandeira (Benedito Bentes), das 8h às 12h e das 14h às 17h.

– Escola Municipal Pedro Suruagy (Tabuleiro dos Martins) das 8h às 11h e das 13h30 às 17h.

A Campanha

A primeira fase da vacinação contra o vírus da influenza contempla trabalhadores de saúde e idosos acima de 60 anos. Já a segunda fase, que tem início no dia 16 de abril, é voltada para professores, profissionais das forças de segurança e salvamento e doentes crônicos. Na etapa final, que inicia dia 9 de maio, serão vacinadas crianças de seis meses a 5 anos, gestantes, puérperas, população indígena, adultos de 55 a 59 anos, população privada de liberdade e portadores de condições especiais. A meta da campanha é imunizar, pelo menos, 90% de cada público-alvo até o dia 22 de maio.

A Campanha imuniza contra três vírus da influenza e tem o objetivo de reduzir as complicações, internações e mortalidades em decorrência das infecções causadas por três tipos do vírus da influenza. Antecipada por determinação do Ministério da Saúde, a intenção é auxiliar os profissionais das unidades de saúde a descartarem a Influenza na triagem de casos para o coronavírus.

Pessoas que apresentarem sintomas respiratórios ou febre não deverão comparecer para a vacinação enquanto houver a presença desses sintomas, podendo ser vacinadas após a melhora da condição.