Alagoas

Vídeo: ataque de pitbull a cãozinho revolta moradores de Campo Alegre; polícia investiga caso

16/11/21 - 18h46 - Atualizado em 17/11/21 - 14h55

Um vídeo que mostra o ataque de um pitbull a um cão de pequeno porte, nessa segunda-feira, 15, em Campo Alegre, interior de Alagoas, deixou revoltados moradores da cidade e internautas que tiveram acesso às imagens. O detalhe é que a cena é presenciada pelo tutor do pitbull, que segura a guia do cão e parece não se importar com o sofrimento do caõzinho, que é mordido ferozmente pelo pitbull.

O vídeo foi divulgado pelo delegado Leonam Pinheiro, que já está investigando o caso. Segundo ele, este não é o primeiro ataque do cão sob a complacência do mesmo tutor.

De acordo com o delegado, felizmente o cãozinho sobreviveu ao ataque: "O dono do pitbull pode responder com base no artigo 936 do Código Civil, que prevê que o “O dono, ou detentor, do animal ressarcirá o dano por este causado, se não provar culpa da vítima ou força maior. Mas é preciso falar também na necessidade de previsão legal de uma modalidade criminal de punição, para que fatos como esse não venham a se repetir. Vamos acompanhar de perto o caso!", escreveu o delegado em seu perfil no Instagram.

Assista à reportagem da TV Pajuçara.

Leia a nota enviada ao TNH1 pela defesa do dono do cão:  "Como em mais um dia comum, o dono do American Bully saiu para passear com seu cão, onde, em um dado momento, outro cachorro de rua ultrapassou o limite da guia e realizou o primeiro ataque, mordendo o focinho do seu pet e realizando outra investida que, inclusive, cortou a sua retina.  Por ser um cão de porte maior, no momento da sua defesa, de forma instintiva, acabou reagindo e também ferindo o outro.  Da parte do proprietário, no calor do fato, avaliou que não poderia puxar o seu cachorro pela guia, pois, desta forma, poderia provocar um dano maior no outro cão; por outro lado, se tentasse separar manualmente poderia sofrer algum ferimento grave. Assim que pôde intervir, conseguiu separar os dois cães, se deslocou para comprar a medicação e acionou o veterinário William Vieira Cavalcante (CRMV/AL 01253), que se prontificou a dar toda a assistência necessária para o cão de rua, que sofreu algumas mordidas superficiais de pele – sem risco de morte - e foi medicado com anti-inflamatório, antibiótico e analgésico", trouxe a nota assinada pelo advogado Gilmar Francisco Soares Júnior.