Polícia

Vídeo: explosivos apreendidos em Girau eram suficientes para destruir três agência bancárias, diz polícia

Erik Maia | 03/09/19 - 12h26 - Atualizado em 03/09/19 - 12h49
Cortesia Alberto Lima - TV Pajuçara

Os explosivos apreendidos com os integrantes da quadrilha responsável pelo assalto da agência bancária de Porto Calvo, na Região Norte de Alagoas, eram suficientes para explodir três bancos. Os explosivos, conhecidos como "metalon", juntamento com o arsenal apreendido durante a operação, foram apresentados na manhã desta terça-feira (3), durante entrevista coletiva realizada na sede da Secretaria de Segurança Pública, no Centro de Maceió. 

A operação, ocorrida nesta segunda-feira, 02, acabou com a morte de nove suspeitos e prisão de outras duas pessoas, em Girau do Ponciano.

(Cortesia Alberto Lima - TV Pajuçara)
(Cortesia Alberto Lima - TV Pajuçara)
(Cortesia Alberto Lima - TV Pajuçara)
(Cortesia Alberto Lima - TV Pajuçara)
(Cortesia Alberto Lima - TV Pajuçara)

De acordo com o delegado Thiago Prado, foram apreendidos 10 kg desse explosivo, três escopetas de calibre 12, três revólveres, duas pistolas e um fuzil de calibre 5,56, além de farta munição para todas essas armas.

“Desde fevereiro, esse grupo vinha sendo investigado, Eles são os responsáveis pela explosão de do banco de Porto Calvo. Nós conseguimos identificar que eles agiriam ontem, durante a madrugada, e numa operação de alto risco para nós, interceptamos o grupo”, revelou o delegado.

Veja vídeo do material apreendido. Imagens fornecidas pela polícia.

O delegado disse ainda que as armas seriam usadas na contenção de forças policiais durante o roubo a outros bancos.

“É costumeiro desse tipo de grupo atirar contra unidades policiais, para evitar que a policiais saiam em busca deles. É possível notar, inclusive nos vídeos gravados pela população e divulgados no Whatsapp, que eles são bastente violento, é só ver como eles receberam as nossas equipes, revidando a abordagem”, afirmou.

Prado confirmou ainda a prisão de outras duas pessoas que estariam no mesmo grupo dos nove suspeitos que morreram em Girau do Ponciano. “Os que reagiram e dispararam contra nós, inclusive atingiram duas viaturas do Bope, morreram. Os dois que não ofereceram resistência a abordagem foram presos”, concluiu.

"