Maceió

Vídeo: incêndio em galeteria na Pajuçara deixa ferido e bombeiros são acionados

João Victor Souza | 18/09/20 - 09h08 - Atualizado em 18/09/20 - 10h26
Bruno Protasio/TV Pajuçara

Um incêndio em uma galeteria na Rua Epaminondas Gracindo, no bairro de Pajuçara, em Maceió, mobilizou o Corpo de Bombeiros na manhã desta sexta-feira, 18. Um funcionário do estabelecimento inalou fumaça e precisou ser encaminhado para a UPA do Trapiche da Barra, porém, segundo a corporação, não apresenta quadro de risco. 

O repórter Bruno Protasio, da TV Pajuçara, esteve no local e conversou com o proprietário da galeteria, identificado como José Clóvis, que explicou à reportagem que o fogo teve início durante o processo de assar os galetos.

"O incêndio começou quando o rapaz [o funcionário] foi acender o fogo para iniciar o assamento, enquanto ele foi fazer o molho para temperar os galetos, houve o excesso de fogo, que se alastrou. Foi muito rápido, com cinco minutos tomou conta de tudo", disse.

(Crédito: Bruno Protasio/TV Pajuçara)

Imagens gravadas no momento do incêndio mostram a grande cortina de fumaça que tomou conta da rua e dificultou a passagem de pedestres e motoristas pela região. No vídeo, o motorista de um ônibus ainda arriscou passar pelo local, enquanto o condutor de um carro de passeio ficou à espera de melhores condições para trafegar.

Assista abaixo:

O Corpo de Bombeiros enviou quatro viaturas com 16 militares por volta de 8h de hoje. A equipe debelou o incêndio considerado de médias proporções com a utilização de água.

O capitão Eberton Suruagy afirmou que o estabelecimento foi isolado por precaução. "A gente sabe que o fogo é capaz de abalar ou danificar a estrutura do ambiente. Então naturalmente uma análise mais técnica será feita. A galeteria vai ser isolada temporariamente até que depois seja tomada a decisão mais técnica", comunicou.

(Crédito: Bruno Protasio/TV Pajuçara)

Ainda de acordo com ele, o trabalhador de 21 anos passou mal depois de ter inalado fumaça dentro do local, mas não corre risco de morte. O capitão destacou o perigo que é inalar fumaça em ambiente fechado.

"O fogo tende a se alastrar, mas o principal é a fumaça, que se espalha. Como ela sai quente, mais leve geralmente no ar, ela vai levando calor para o ambiente e tende com que as pessoas respirem, e podem mesmo apagar após a inalação", disse.