Maceió

Vídeo: pesquisador explica nova etapa de monitoramento no Pinheiro

Eberth Lins | 31/01/19 - 17h56 - Atualizado em 31/01/19 - 18h04
Marcos Ferreira, pesquisador do CPRM

A Rede Sismográfica Brasileira vai analisar dados de vibração de solo do bairro Pinheiro. O pesquisador do laboratório de Sismografia do Serviço Geológico do Brasil (CPRM), Marcos Ferreira, conversou com o TNH1, nesta quinta-feira (31), e explicou como será o trabalho, que busca identificar as causas do surgimento de rachaduras em vias e imóveis do bairro.

De acordo com o pesquisador, com a implantação do sistema, dados estão sendo coletados em Maceió e enviados para interpretação na Rede, no Rio de Janeiro.

“São equipamentos que medem a vibração do solo da região, capazes de detectar eventos como tremores e batida de carro. A rede vai registrar qualquer tipo de evento que cause vibração nas proximidades”, explicou.

Três estações sismográficas já foram instaladas em diferentes pontos da região do Pinheiro. “A CPRM vem fazendo diversos estudos, com diferentes metodologias, e essa é mais uma das etapas para auxiliar no estudo global, que é o entendimento do que está ocorrendo no bairro do Pinheiro”, acrescentou o pesquisador, reforçando que o trabalho é parte do monitoramento sísmico da região.

“Após essa fase do entendimento dos dados, nós estaremos monitorando efetivamente os eventos que ocorrem no bairro”, complementou, acrescentando que o trabalho “não vai afetar a rotina da comunidade”.

Além do CPRM, a Rede Sismográfica Brasileira é formada pelas instituições Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), Universidade de São Paulo (USP), Universidade de Brasília (UNB) e Observatório Nacional.

Assista o vídeo: