Maceió

Vídeos: gestante enfrenta engarrafamento e acaba dando à luz em plena Fernandes Lima

João Victor Souza | 09/09/20 - 11h26 - Atualizado em 09/09/20 - 12h27
Cortesia

O nascimento de uma vida sempre é marcado por emoção, mas quando a história envolve superação de adversidades o parto ganha ainda mais comoção. Foi o que aconteceu com a mamãe Karla e com a pequena Kailane Vitória, nessa terça-feira, 8, em plena luz do dia na Avenida Fernandes Lima, uma das principais vias de Maceió.

Moradora do Tabuleiro do Pinto, em Rio Largo, a mãe enfrentou mais de duas horas de trânsito intenso e não conseguiu chegar a tempo à maternidade, tendo que dar à luz bebê dentro do carro, que foi parado pelo motorista em frente a uma igreja no bairro do Farol.

Vídeos compartilhados por Edilton da Silva, o condutor do veículo, mostram o primeiro encontro entre mãe e filha. O motorista se mostrou emocionado nas filmagens e comemorou por ter participado do início da vida de Vitória.

Veja vídeo:

"O nome dela já diz tudo, né? Foi a vitória da Vitória. Quando ela nasceu, eu liguei para o 192, o Samu chegou logo depois e fez os primeiros socorros, cortou o cordão umbilical e levou elas para o hospital".

Edilton, que trabalha como pedreiro, afirmou que não mantinha relação próxima com Karla e que foi chamado para ajudar no transporte da gestante.

"Eu sempre ajudo os que mais precisam. Aí me chamaram para acudir a grávida que já estava perto de ter o bebê. Cheguei por lá, mais ou menos às 6h da manhã, coloquei ela e a tia dela no carro e fomos para o hospital".

"No momento em que a gente foi, logo no início da manhã, estava aquele trânsito pesado, engarrafamento. Até cortei caminho pela faixa azul da pista e acho que vou ser multado, que vi a fiscalização da SMTT por lá. Mas o que importa é ter salvado uma vida".


A reportagem também conversou com a tia de Karla, identificada como Roseane, que fez o parto do recém-nascido. Ela contou que havia tentado a internação da mulher em um hospital, mas depois foi informada que o local atendia apenas pacientes com gravidez de alto risco, tendo que se deslocar para outra unidade de saúde.

"A bolsa já tinha rompido, já ia nascer. Pegamos o transporte, fomos ao HU, mas não tivemos o atendimento porque a gestação da Karla era de baixo risco, tivemos que procurar outra maternidade, mas não deu tempo".

Roseane também destacou que apesar de nunca ter participado de um parto, conseguiu tranquilizar a mãe e retirar o bebê com facilidade. "Eu nunca tinha feito um parto na vida. Mas não foi difícil, não teve complicação, o bebê logo saiu, chorou, eu coloquei ela em cima da mãe e a cobri. Ficou tudo bem".

Ainda segundo a tia, Karla e Vitória estão bem, passaram pelos exames necessários e aguardam o recebimento da alta médica para irem para casa. "Acho que até amanhã elas são liberadas. Todo mundo está muito feliz", finalizou.