Polícia

Vítima relata uso de documentos originais em golpes na web; delegado faz alerta

TNH1 com TV Pajuçara | 21/08/20 - 17h28 - Atualizado em 21/08/20 - 17h31
Reprodução Fique Alerta / TV Pajuçara

Os golpes na internet são cada vez mais comuns e a cada dia aumenta o número de vítimas que caem nessas armadilhas, principalmente em sites de compra e venda de produtos novos e usados. Em Alagoas, um rapaz, que não quer se identificar, foi uma das vítimas.

Ao programa Fique Alerta, da TV Pajuçara, ele contou nesta sexta-feira (21) como caiu no golpe e os criminosos estão utilizando os documentos dele para realizarem novos crimes. 

"Fui fazer uma compra (no site de compra e venda), procurando um PS4. Encontrei um anunciante, que mandou os documentos, se passando por advogado. Eu pensava que estava fazendo negócio realmente com esse advogado. Foi quando mandei fotos dos meus documentos para tentar negociar. Acabei, com o tempo, descobrindo que ele estava usando esses meus documentos para aplicar golpes. Não cheguei a fazer a compra porque depois eu percebi que era golpista, estava pedindo dinheiro, enrolando a gente até tentar mais alguma coisa", contou a vítima.

"Acho que descobri há uns dois meses no máximo que tem um meliante usando os meus documentos aqui em Maceió. Anunciando e comprando produtos de outras pessoas, fazendo comprovante falso de transferência. Elas entregam o produto e o dinheiro não cai na conta. Aí a pessoa perde e pensa que sou eu que está cometendo esse crime", observou. 

O delegado José Carlos, da Polícia Civil, fez um alerta para os consumidores redobrarem os cuidados na internet. 

"Gostaria de alertar a todos sobre uma das técnicas utilizadas por criminosos na internet. Uma delas consiste realmente em utilizar documentos verdadeiros, que os criminosos por alguma razão têm acesso, para tentar passar credibilidade. Tem sido comum ultimamente criminosos comprarem produtos e para passarem credibilidade, acabam mandando documento de uma pessoa que não é o criminosos obviamente, para dizer: 'Olha, eu existo, está aqui o meu documento'. Já vimos casos de utilização de OAB, carteira de advogado, carteira de um policial militar, inclusive, tem um caso aqui de Alagoas".

"É comum criminosos utilizarem documentos verdadeiros, mas obtidos de maneira ilícita para tentar passar essa credibilidade. As vítimas têm que ficar atentas. Se vender alguma coisa para pessoa que, mesmo mandando documento, como você não tem como saber se aquele documento é realmente daquela pessoa, tenha cuidado. Se houve um depósito, veja se o depósito não foi feito por envelope e obviamente o envelope pode estar vazio. Se foi uma TED, é bom verificar se o valor foi efetivamente creditado ou aquele comprovante de TED não é uma mera previsão de lançamento que no dia seguinte pode não ocorrer. Fiquem muitos ligados, é comum criminosos utilizarem documentos de pessoas sérias para aplicarem golpes".