Nordeste

Alagoano é preso por tentativa de fraude no concurso da Polícia Civil do Rio Grande do Norte

G1 | 12/07/21 - 15h56 - Atualizado em 13/07/21 - 09h19
Reprodução/ Instagram

Um alagoano inscrito no concurso da Polícia Civil do Rio Grande do Norte foi preso por tentar fraudar as provas neste domingo (11), em Natal. A Polícia Civil confirmou ao G1 a prisão do candidato, de 41 anos de idade, durante o exame intelectual, que é a primeira etapa da seleção pública. Apesar disso, não informou o tipo de equipamento usado pelo candidato na fraude.

A assessoria de imprensa da corporação disse que a investigação corre em sigilo e que o delegado responsável preferiu não revelar mais detalhes para não prejudicar outras diligências. Também não foi informada se há suspeita de participação de outras pessoas na tentativa de fraude.

"O inquérito policial foi instaurado e as investigações estão tramitando no Departamento de Combate à Corrupção (DECCOR). A PCRN informa que o certame segue o curso normalmente e reforça seu compromisso com a transparência perante a sociedade, em especial os candidatos, destacando que, caso sejam verificadas quaisquer outras práticas ilícitas, as medidas administrativas e criminais necessárias serão adotadas, com a responsabilização do(s) autor(es)", informou a corporação em nota.

Concurso

Ao todo, o concurso teve 61.042 candidatos inscritos para concorrer às 301 vagas oferecidas - 230 para agente, 24 para escrivão e 47 para delegado.

O edital foi lançado em novembro de 2020 e a previsão era de que as provas fossem aplicadas nos dias 07 e 14 de março. Porém, por causa da pandemia da Covid-19, a seleção foi suspensa em fevereiro e retomada em maio. O salário oferecido para agente e escrivão é de R$ 4.731,91 e para delegado, R$ 16.670,59.

FGV emite comunicado

Em comunicado emitido à imprensa, a Fundação Getúlio Vargas, resposável pela realização das provas, afirma que o candidato foi identificado e imediatamente eliminado. No comunicado, a FGV afirma ainda que "o corpo profissional da FGV é treinado e capacitado para evitar tais iniciativas criminosas". Leia a nota na íntegra:

A Fundação Getulio Vargas (FGV) comunica ter identificado e imediatamente eliminado tentativa de cola eletrônica de um candidato durante a prova da Polícia Civil do Rio Grande do Norte, realizada no último domingo, dia 11 de julho. O corpo profissional da FGV é treinado e capacitado para evitar tais iniciativas criminosas. O sistema de prevenção é reforçado por rígidos procedimentos de segurança, que incluem o uso de detectores de metais e detectores de ponto eletrônico, para evitar que os inscritos portem equipamentos eletrônicos suspeitos. Além do uso dessas tecnologias de combate à fraude e da atuação de profissionais experientes nos locais de aplicação, a FGV conta com avançado sistema de inteligência artificial, que realiza cruzamentos de dados, identificando coincidências de acertos e erros das respostas dos candidatos, tanto nas questões objetivas quanto discursivas, além da análise grafotécnica. A Fundação Getulio Vargas agradece a todos os colaboradores que integram sua força de trabalho, pela eficiência em detectar a ocorrência e abortar a tentativa de fraude não consumada no certame. Por fim, reitera a lisura do certame e, juntamente com a PCRN, assegura a continuidade das demais etapas do concurso, inclusive a prova objetiva e discursiva para o cargo de Delegado Substituto no próximo domingo, dia 18/07/2021, em Natal-RN, tranquilizando todos os participantes e a sociedade.