Saúde

Alagoas tem a 3ª menor incidência de novos casos da Covid e a 6ª menor em óbitos, diz Ufal 

Eberth Lins | 09/09/20 - 10h00 - Atualizado em 09/09/20 - 10h02
Foto: Itawi Albuquerque/TNH1

Alagoas é o 3º estado do Brasil com menor incidência de novos casos da Covid, ficando atrás apenas do Rio de Janeiro e Sergipe. Com relação ao número de óbitos, os dados também são otimistas, visto que Alagoas ficou com a 6ª menor taxa entre todas as unidades da federação.

De acordo com o último relatório do Observatório Alagoano de Políticas Públicas para o Enfrentamento da Covid, divulgado na noite dessa terça-feira (08), a análise da 36ª Semana Epidemiológica (SE) 'indica uma expansão do controle da transmissão em quase todo oterritório alagoano'.

"As análises apontam para o controle da transmissão do novo Coronavírus ao longo de todo o estado de Alagoas, com exceções pontuais que devem ser monitoradas e isoladas para não se tornarem focos de proliferação", disse Gabriel Badúe, coordenador do estudo.

Risco continua alto

O relatório ressalta, no entanto, que o risco epidêmico no estado de Alagoas continua alto e que medidas preventivas seguem sendo fundamentais.

"É Imprescindível a continuidade das ações de monitoramento da epidemia pelos entes governamentais a fim de rastrear, monitorar e isolar pessoas contaminados no início da infecção a fim de mitigar o agravamento da doença e evitar novos focos de transmissão. É o que possibilitará o avanço às próximas fases do protocolo de distanciamento social proposto pelo governo estadual com segurança, minimizando os riscos que existirão até a conquista de uma imunização coletiva", diz o documento. O observatório também voltou a chamar atenção para a política de testagem de Alagoas

Participação da população

O observatório ressalta ainda que para frear a proliferação da doença é importante que a população cumpra com as recomendações das autoridades em saúde. "Reforçamos a necessidade de participação de toda a sociedade nesse combate, desde o cumprimento das medidas de segurança como o uso da máscara, a higienização das mãos e a não permanência em aglomerações, até a fiscalização por parte dos governos do cumprimento das medidas de prevenção constantes nos protocolos de distanciamento", trouxe o documento. O observatório é formado por pesquisadores da Universidade Federal de Alagoas (Ufal) e tem feito análises baseadas no Comitê Nordeste para enfrentamento da Covid.