Alagoas

Aluna de escola municipal vence alta concorrência e conquista primeiro lugar em curso do Ifal

16/02/17 - 11h11 - Atualizado em 16/02/17 - 11h11

Alunas da Escola Municipal Germino Pedro dos Santos vencem alta concorrência em processo seletivo e conquistam vagas em cursos técnicos do Instituto Federal de Alagoas (Ifal). Uma delas conquista o primeiro lugar entre alunos de escolas públicas, no curso de informática. A escola está localizada na zona rural de Arapiraca, Sítio Cangandu. O mérito é compartilhado entre alunos e escola.

Para a edição do processo seletivo do Ifal foram inscritos 10 alunos da escola. Deste número, quatro conseguiram aprovação nos cursos técnicos do Campus Arapiraca. Bruna Nicolly da Silva, 14, e Maria Izabel Nunes da Silva, 15, ambas aprovadas em Eletroeletrônica. Já Milena Nunes da Silva, 14, e Ana Beatriz Paiva Oliveira, 15, vão cursar Informática. Esta última, além de conseguir a vaga, conquistou o primeiro lugar.

“Estou muito feliz com a minha aprovação no curso de informática. E ainda mais com a conquista do primeiro lugar entre os alunos de escolas públicas. Estudar no Ifal sempre foi um sonho para mim. E agora me sinto realizada em saber que  valeu todo o meu esforço. E tenho gratidão aos meus maiores incentivadores: meus pais e a minha escola, que tanto me motivou, acreditou no meu potencial e auxiliou na minha preparação e conquista”, declarou Ana Beatriz.

A professora Michelline Magalhães Silva explica que o percentual de aprovação é expressivo  e estimula a comunidade escolar a acreditar que é possível conquistar o que deseja, com esforço, determinação e dedicação. O exemplo da Ana Beatriz e das demais meninas é um indício de que a escola está com um eficiente projeto pedagógico.

“O sucesso dos nossos alunos pode ser justificado com dois fatores: o perfil de interesse de cada um e o poder de engajamento promovido pela escola, incentivando  por meio de uma gestão compartilhada e participativa. São professores, colaboradores, pais, alunos e comunidade, juntos na construção de uma escola de qualidade”, explicou a professora.

Atualmente a escola  atende a um público de 500 alunos do  Ensino Fundamental II (6º ao 9º ano) e Educação de Jovens e Adultos (EJA). As turmas participam das aulas e ainda contam com uma programação extracurricular, a exemplo de  aulas de reforço de Português e Matemática, e atividades de  caratê e percussão.

“Percebemos a importância de ofertar atividades extras para nossos alunos. A participação deles reflete no aprendizado. O objetivo da escola é estimular a sede de conhecimento e motivar. Muitos dos alunos são carentes e precisam acreditar no poder transformador da educação. Os aprovados no Ifal, por exemplo, são estímulos para todos”, declarou Micheline Magalhães.

A escola promove projetos pedagógicos com benefícios para alunos e a comunidade local. E ganha destaque em importante evento nacional de educação, a Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (OBMEP). Nela, a escola conquistou seis  menções honrosas e uma medalha de bronze.

“Faz parte da rotina da escola estimular a participação  dos alunos em importantes projetos que beneficiam seu aprendizado  e, também,  a comunidade onde moram”, completou a professora.  Dos projetos, há alguns que se destacam, a exemplo:

Soletrando – projeto que estimula o hábito da leitura e escrita nos alunos. Eles recebem sugestão de leitura, sempre de clássicos da literatura, e, a partir desse momento,  elaboram dramatizações  das obras e ainda participam de um jogo onde competem com soletração de palavras encontradas nas narrativas.

Calculando – projeto de matemática  com competição entre turmas. O objetivo é  proporcionar um melhor aprendizado da disciplina de maneira divertida e lúdica.

Meio Ambiente e Patrimônio Público – com  a realização de gincana e exposição,  visa  conscientizar a comunidade para uma melhor qualidade de vida.

A professora Michelline Magalhães enfatiza a participação ativa do município, por meio da Secretaria de Educação e Esporte,  e explica que conta com a parceria de algumas empresas privadas que ajudam com a doação de brindes para os vencedores dos projetos. “A premiação estimula a participação dos alunos, por isso buscamos parcerias que possibilitem a doação. No ano passado conseguimos computador, tablet e  bicicleta”, ressaltou a professora.