Gente Famosa

Ana Maria Braga diz que quebrou o braço após fugir de assédio sexual de diretor de TV

Notícias da TV | 22/09/20 - 13h31
Reprodução/TV Cultura

Ana Maria Braga, 71 anos, revelou que quebrou o braço após fugir de um diretor de TV que a assediou no passado. "Despenquei da escada", relatou a apresentadora da Globo em entrevista ao Roda Viva, na TV Cultura, nessa segunda-feira (21).

Sem citar o nome do assediador, a empresa e o ano em que ocorreu, Ana Maria relatou sua história como forma de desabafo. Segundo ela, o homem nunca foi punido apesar dela ter denunciado o caso para seu superior.

"O assédio não foi feito fisicamente porque eu estava na sala de um diretor. Ele tinha pedido um projeto para mim, que ia ser muito bom para a televisão brasileira. Fiz um projeto lindo. Fiquei 15 dias trabalhando no projeto. Acreditando que eu pudesse sair do programa da tarde e ter um programa a noite na televisão", iniciou.

"Ele tinha me dito inclusive: 'Você pode ser a Hebe Camargo amanhã. Dependendo do que você [fizer]'. A Hebe já era a Hebe Camargo. Eu fiz um belo projeto jornalístico e levei", relembrou.

Sozinhos na sala do profissional, Ana Maria se viu em uma situação assustadora. "Quando levei [o projeto], ficou na mesa dele. Ele me olhou, levantou da mesa e veio para cima de mim. Fiquei absolutamente estupefata. Ele falou: 'Olha, venha cá'", detalhou.

"E eu fugi. Quando eu fugi da sala dele, saí com tanto ímpeto, que tinha uma escada. Despenquei da escada do nono andar até o oitavo, que era o departamento comercial. Alguém me socorreu e me acudiu. Eu quebrei o braço", relatou.

Diante do acidente, Ana Maria decidiu denunciar o diretor. "Eram os Diários Associados na época. Eu fui e marquei uma reunião lá na rua Sete de Abril para falar daquele indivíduo para o chefe geral da nação que eu trabalhava", relembrou.

Vera Magalhães, apresentadora do Roda Viva, questionou se ela gostaria de dar nome do profissional e do veículo em que trabalhava na época. "Não há necessidade. Todo mundo já percorreu seu caminho. Um, pelo menos, já morreu. O outro eu não sei. Ficou como estava. Ele continuou sendo o que era lá [dentro]", lamentou.

A apresentadora do Mais Você relembrou que anos depois, quando dirigia o setor comercial das revistas femininas da Editora Abril, reencontrou seu assediador por acaso em um restaurante de São Paulo. "Quando ele olhou para mim, ele abaixou o olho e se mandou", disse.