Alagoas

Após 25º ataque a banco, governador critica: "Todo maloqueiro tem explosivos"

04/07/16 - 10h06 - Atualizado em 04/07/16 - 10h13
TNH1

O governador Renan Filho criticou, nesta segunda (04), a falta de fiscalização da venda de explosivos no Brasil, após ser questionado pelo TNH1 sobre a onda de roubos a bancos que afeta o Sertão de Alagoas. Nesta manhã, mais uma agência foi alvo de bandidos na região, o 25º no ano.

Ele disse que, em reunião recente dos governadores, o Governo Federal foi cobrado a fortalecer a fiscalização dessa venda, porque, hoje, segundo afirmou, “todo maloqueiro tem explosivos para explodir um caixa eletrônico”.

“Cobramos do Governo Federal que explosivos sejam comprados por pessoas autorizadas e acompanhadas pelo Exército. Isso é também um fato que ocorre em outros estados”, avaliou.

Renan Filho admitiu que o problema também é de segurança pública e, apesar de atingir instituições privadas que possuem vigilância própria, afeta a “sensação de segurança” da população.

Ele confirmou que o interior do estado tem menor efetivo, proporcionalmente, do que a Capital, e que essas regiões são alvos, muitas vezes, de grupos de outros estados.

Como saída, o governador citou a nomeação de 800 militares da reserva técnica, já realizada, e da reserva da Polícia Civil, esta sem data prevista.

“Vamos convocar a reserva da Polícia Civil logo que tivermos uma definição mais firme com relação à dívida. Precisa andar no Congresso. E novos concursos, depois que convocarmos as reservas”, declarou.