Brasil

As capitais brasileiras onde a diferença de valor dos genéricos é mais salgada

12/07/16 - 10h14 - Atualizado em 12/07/16 - 10h36
Reprodução

Uma pesquisa realizada pelo Instituto de Ciência, Tecnologia e Qualidade (ICTQ) mostra que a diferença de preço entre o mesmo medicamento genérico pode chegar a 5.436% entre uma capital brasileira e outra. O levantamento foi realizado em 342 farmácias distribuídas em 16 das principais cidades de todas as regiões do país.

A pesquisa também revela que a diferença de valores está aumentando com o tempo: em setembro de 2015, quando foi feita a primeira edição do estudo, a variação dos preços nas drogarias de uma capital a outra chegava “apenas” a 1.970%.

Dentro de uma mesma cidade, destaque para Curitiba, capital do Paraná, onde o analgésico Paracetamol — utilizado no tratamento de dores e febre — tem uma variação de preços superior a 3.868% entre um estabelecimento e outro dentro do município.

De acordo com o diretor do estudo, Marcus Vinicius Andrade, essa diferença de preços está baseada principalmente no poder de compra e negociações das redes ou distribuidoras com os laboratórios farmacêuticos. "Logística, tarifação de impostos e o perfil de loja são outros fatores influenciadores", diz.

Segundo ele, no atual momento de crise econômica, o consumidor precisa redobrar a atenção quanto aos valores ofertados. Neste caso, o hábito de pesquisar as diferenças de preços em supermercados deve ser replicado na ida à farmácia.

Veja, no infográfico, onde é preciso ter mais atenção na hora de comprar um remédio.