Economia

Auxílio emergencial: queda no valor do benefício vai tirar R$ 660 milhões injetados em Alagoas por mês

TNH1 com TV Pajuçara | 24/08/20 - 14h54 - Atualizado em 24/08/20 - 15h06

Recentemente o economista da Universidade Federal de Alagoas, Cícero Péricles de Carvalho, lançou um estudo sobre os impactos da pandemia do novo coronavírus na economia alagoana.

Nesse domingo, 23, Péricles foi o entrevistado de Ricardo Mota, na TV Pajuçara, onde fez uma análise do momento econômico no atual no estado, com dados que ajudam a compreender muito do cenário pós-pandemia, quando parte do setor produtivo volta a abrir as portas. A entrevista você confere numa série de três reportagens no TNH1.

Nessa primeira parte da entrevista, Péricles, um das maiores autoridades em economia regional e alagoana, fala da importância dos recursos oriundos do auxílio emergencial, ajuda financeira do governo federal.

Ele faz um alerta, com a redução do valor do benefício, de R$ 600 para R$ 200, como está previsto para acontecer a partir do mês de setembro, o volume de recursos em Alagoas cairá dos atuais R$ 780 milhões para apenas R$ 120 milhões. A diferença fica na casa dos R$ 660 milhões/mês. E o comércio deverá sentir essa redução, calcula o economista. 

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) alegou que a União não tem como bancar o auxílio no atual valor, num total de R$ 50 bilhões/mês, mas sinalizou que o benefício deverá se tornar permanente, com o nome de Renda Brasil, que agragaria também as demais ajudas sociais, como o Bolsa Família.

Assista ao primerio bloco da entrevista na íntegra: