Alagoas

Auxílio Emergencial: superintendente da Caixa em Alagoas tira dúvidas ao vivo nesta terça, 1º

TNH1 | 31/08/20 - 17h20 - Atualizado em 31/08/20 - 17h26

Ainda com indefinições sobre valores caso venha a se tornar permanente, o auxílio emergencial, ajuda do governo federal durante a pandemia do novo coronavírus ainda suscita dúvidas. 

Nesta terça-feira, 1º de setembro, o superintendente da Caixa Econômica em Alagoas, Sander Alex Farias assume, voltar a tirar dúvidas da população, no programa Pajuçara Na Hora, com transmissão ao vivo pelo TNH1.

Em entrevista a Wilson Júnior, Sander vai responder as principais dúvidas sobre o auxilio, que beneficia em Alagoas 1.065.000 mil pessoas, pagando um total de 770 milhões de reais. 

O Pajuçara Na Hora vai ao ar a partir das 8h. 

Queda no valor do benefício vai tirar R$ 660 milhões injetados em Alagoas por mês

Recentemente o economista da Universidade Federal de Alagoas, Cícero Péricles de Carvalho, lançou um estudo sobre os impactos da pandemia do novo coronavírus na economia alagoana.

Péricles, um das maiores autoridades em economia regional e alagoana, fala da importância dos recursos oriundos do auxílio emergencial, ajuda financeira do governo federal.

Ele faz um alerta, com a redução do valor do benefício, de R$ 600 para R$ 200, como está previsto para acontecer a partir do mês de setembro, o volume de recursos em Alagoas cairá dos atuais R$ 780 milhões para apenas R$ 120 milhões. A diferença fica na casa dos R$ 660 milhões/mês. E o comércio deverá sentir essa redução, calcula o economista. 

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) alegou que a União não tem como bancar o auxílio no atual valor, num total de R$ 50 bilhões/mês, mas sinalizou que o benefício deverá se tornar permanente, com o nome de Renda Brasil, que agragaria também as demais ajudas sociais, como o Bolsa Família.