Nordeste

Campanha de combate às drogas leva ciclistas para ruas de Recife

Diário de Pernambuco | 01/09/19 - 17h07
Rosália Rangel/Diário de Pernambuco

Do Homem-Aranha a dezenas de grupos de bike. Todos juntos somaram mais de dois mil ciclistas que, neste domingo (1), pedalaram pelas ruas do Recife para levar à população mensagens de combate ao uso de drogas e de maior atenção à saúde. Eles participaram da sexta edição do passeio ciclístico Pedalando Contra as Drogas, um evento que já faz parte do calendário cultural da cidade. O grupo se concentrou na Rua Aurora, de onde partiu para cumprir um percurso de 16 quilômetros, chegando ao Segundo Jardim de Boa Viagem, de onde retornaram para o ponto de partida.

De acordo com o coordenador da Associação Oásis da Liberdade, Luiz Eustáquio, o objetivo do evento é de fazer uma campanha de alerta à sociedade de como as drogas estão destruindo vidas. “Trabalhamos há 20 anos ajudando pessoas a saírem das drogas. Temos um trabalho de tratamento terapêutico no nosso projeto e de prevenção com as crianças no bairro de Santo Amaro”, contou, afirmando que além do Pedalando Contra as Drogas, uma outra campanha, o Recife Sem Drogas, será realizado no dia 2 de novembro no Parque Dona Lindu. “A nossa mensagem é de alertar a população no combate ao uso de drogas, dizendo sim à vida e não às drogas”, pontuou Eustáquio.

Entre os participantes, o professor de música Mauro Ângelo da Silva Júnior, 30 anos, optou por vestir a fantasia do Homem-Aranha e, na condição de super herói, se juntar ao grupo no alerta contra o uso de entorpecentes. “A bicicleta é meu veículo de trabalho. É a primeira vez que participo de um passeio ciclístico e fiquei surpreso com tanta gente participando. Também acho muito importante que a prática de esportes seja utilizada para conscientizar as pessoas para o tema das drogas”, ponderou Ângelo que mora em Salgadinho, Olinda.

A assistente administrativa Márcia Gouveia veio com um grupo de nove pessoas dos bairros do Ibura, Porta Larga e Cajueiro Seco. Nas bicicletas colocam cartazes com palavra Jesus para encorajar as pessoas na luta contra as drogas. “O evento Pedalando Contra as Drogas ajudou a gente a enxergar possibilidade de nos fortalecer”, comentou. Já Emídio Fernando de Oliveira, 57 anos, estava com o grupo Bike Sem Barreiras. Usando uma cadeira de rodas adaptada com marcha, ele seguiu o percurso com o astral de um atleta que tem 20 anos de estrada. “Tive paralisia aos 10 meses de idade. Sempre usei aparelho e bengala. Passei a usar cadeira de rodas há 7 anos e isso facilitou minha vida. Estou aqui para mostrar aos deficientes, que preferem ficar em casa, que eles podem participar e praticar esportes”.

Além da mensagem de combate ao uso de droga e prevenção à saúde, o passeio também ajudou a recolher alimentos, que serão doados para a Associação Oásis da Liberdade, uma organização não-governamental, que atende atualmente 70 crianças na faixa etária de 7 a 13 anos. No final do percurso, os ciclistas participaram de sorteios, incluindo três bolsas de pós-graduação (integral) que foram doadas pela Faculdade Alpha. “É uma ação que faz parte da política social da nossa instituição”, disse Jorge Mota, diretor acadêmico da Alpha.