Futebol Nacional

CBF veta volta do público aos estádios, e Flamengo aciona Brasília

Extra | 27/09/20 - 09h51 - Atualizado em 27/09/20 - 09h54

Uma reunião neste sábado entre a CBF e os clubes da Série A decidiu, por unanimidade, pelo veto ao retorno do público nos estádios no momento. A informação foi divulgada primeiramente pelo "Ge". O cenário será avaliado novamente dentro de 15 dias. O Flamengo foi o único clube que não participou da reunião. Apesar do convite feito ao presidente Rodolfo Landim.

A decisão inviabiliza o desejo do rubro-negro e da prefeitura do Rio de contar com público já na partida contra o Athletico, no Maracanã, dia 4 de outubro. A reportagem do GLOBO apurou que, entre os presentes, estavam os presidentes do Palmeiras, Maurício Galiotte, Mário Bitencoutrt, do Fluminense, Sérgio Sette Càmara, do Atlético-MG, e Andrez Sanchez, do Corinthians. Eles foram as principais vozes contrárias aos jogos com público.

Todos defenderam isonomia para a volta gradual e ao mesmo tempo, independentemente do fato de o Rio de Janeiro estar avançado para o retorno de parte da torcida ao Maracanã. Foi decidido que a CBF vai aguardar e seguir debatendo com os representantes dos clubes, na espera de um cenário menos delicado em relação à pandemia do coronavírus.

Curiosamente, a CBF havia afirmado que liberaria o público a partir da aprovação de seu protocolo pelo Ministério da Saúde, o que aconteceu na última semana. Mesmo assim, a entidade pregou liberação em todos os estados ao mesmo tempo antes de aplicar as medidas e protocolos de saúde.

Na diretoria do Flamengo, o movimento caiu como uma retaliação. O clube fez contato com a Secretaria Nacional de Futebol, e vai deixar que o Governo Federal haja nos bastidores para entender a decisão da CBF. O governo do presidente Jair Bolsonaro já defendeu inúmeras vezes a volta do público aos estádios.

Saiba mais: Decreto autoriza presença de público em estádios de futebol do Rio

CBF e clubes haviam se reunido na última quinta-feira, e o encontro acabou com bate-boca entre o presidente da entidade, Rogério Caboclo, e o presidente da Ferj, Rubens Lopes.

Confira a nota da CBF

A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) e os Clubes da Série A do Campeonato Brasileiro decidiram manter o veto à presença de torcedores nos estádios durante a realização do Brasileirão Assaí 2020, conforme previsto na Diretriz Técnica Operacional de Retorno das Competições, publicada em 24 de julho de 2020, que estabelece os protocolos de prevenção à epidemia de Covid-19.

A decisão foi tomada por unanimidade entre os 19 Clubes presentes, em reunião, por videoconferência, realizada na tarde deste sábado, 26, às 15h. O Clube de Regatas do Flamengo não esteve presente no encontro. Além dos Clubes da Série A, participaram da discussão os presidentes de Federações Estaduais que sediam jogos da competição.

O presidente da CBF, Rogério Caboclo, e os presidentes dos Clubes declararam-se favoráveis ao retorno gradual do público aos estádios, desde que com aval das autoridades de saúde locais, de forma isonômica e guiado por todas as medidas protetivas previstas no estudo encaminhado pela CBF ao Ministério da Saúde.

Como isso, no momento, ainda não é possível, ficou acordada a retomada do debate do tema a cada 15 dias para reavaliação do cenário em âmbito nacional.

Com a decisão, a partida da Seleção Brasileira contra a Bolívia, válida pelas Eliminatórias da Copa do Mundo FIFA 2022, no dia 9 de outubro, em São Paulo, igualmente será realizada sem a presença de torcedores.