Futebol

Com alterações no regulamento, Alagoano aperta calendário e será decidido em uma semana

TNH1 com informações da FAF | 27/07/20 - 15h54 - Atualizado em 27/07/20 - 15h54
Divulgação / FAF

O Campeonato Alagoano volta nesta quarta-feira (29) e será com o calendário apertado para que possa ser finalizado antes do início da Série B do Campeonato Brasileiro. Em reunião na última sexta-feira (29), no auditório do Estádio Rei Pelé, a Federação Alagoana de Futebol se reuniu com os dirigentes dos oito clubes para definir os detalhes da retomada da competição. Com aval do Governo do Estado, ficou definido que o Estadual retorna com os jogos sem a presença de público como medida restritiva no controle da pandemia do novo coronavírus. A competição ficou paralisada por mais de quatro meses. 

Já nesta quarta-feira, as partidas da sexta rodada do Alagoano retornam com três jogos às 16h. ASA e CSA jogam no Estádio municipal Coaracy da Mata Fonseca, em Arapiraca. O CRB recebe o Coruripe no Estádio Rei Pelé, em Maceió. E o Jaciobá enfrenta o CEO no Estádio Juca Sampaio, em Palmeira dos Índios.

A sétima rodada está marcada para sexta-feira (31) e vai ter o protagonismo de CSA x CRB com o Clássico das Multidões. Complementam a tabela na sétima rodada: CEO x Murici, CSE x ASA e Coruripe x Jaciobá. Todas as partidas da sétima rodada serão disputadas às 20h. 

Mudanças no regulamento

As fases decisivas sofreram alterações. Antes com jogos de ida e volta, a semifinal e a final da competição acontecerão agora em jogo único no Estádio Rei Pelé. Semifinal na segunda-feira (3) e a final na quarta-feira (5). Em caso de empate no mata-mata, a decisão será nos pênaltis. 

Outra mudança no regulamento foi que não haverá rebaixamento de clube para a segunda divisão para a temporada 2021. Antes estava prevista a queda do último colocado. 

Na reunião da semana passada, o presidente da FAF, Felipe Feijó, apresentou as propostas de alterações no regulamento. Com as presenças da presidente do TJD/AL, Ana Lydia Seabra e do presidente do Sindicato dos Atletas, Jorge Borçato, os dirigentes debateram as mudanças na competição em cerca de duas horas.

Foram alterados ainda os seguintes itens no regulamento:

- Cartões zerados, sendo necessário ao atleta já penalizado cumprir a suspensão automática por acúmulo desportiva (este fica dependendo de consulta fundamentada legalmente requerida anteriormente. Em caso de necessidade de utilização dos critérios de desempate previstos no artigo 5º, somente serão considerados os cartões aplicados a partir da 6ª rodada;

- Utilização, por jogo, de até 10 atletas não profissionais com até 20 anos de idade, ajustando o artigo 23 do regulamento, e o sistema da competição; 

- Possibilidade de cinco substituições de atletas por equipe durante o jogo, inclusive o goleiro, observando-se até três paradas durante o jogo, excluída do cômputo eventual substituição que ocorra no intervalo da partida; 

- Reposição da inscrição de atletas que tiveram o contrato encerrado ao longo da paralisação da competição, por meio de substituições no sistema, a fim de recompor o elenco das equipes, ajustando o artigo 20, parágrafo 3º, que passa a permitir 43 atletas, sendo 33 profissionais e 10 amadores, suprimida a exigência ao final do dispositivo para obrigatoriedade de ao menos cinco inscrições de atletas da categoria Sub-23;

- Suprimida a vedação contida no artigo 24 do regulamento, podendo o atleta com contrato encerrado que já tenha disputado alguma partida na competição ser inscrito por outra equipe para a disputa do restante dos jogos do Campeonato Alagoano Série A 2020.