Cinema

Com mudanças, 'Branca de Neve' de 2024 não terá os sete anões

Estadão Conteúdo | 06/09/23 - 22h47

Depois de A Pequena Sereia, a Disney está focada em uma nova princesa: Branca de Neve. Ainda em outubro, o estúdio lança uma versão remasterizada em 4k da animação original. O live-action que dá vida à animação de 1937 deve estrear em 2024, com Rachel Zegler como a princesa e Gal Gadot como Rainha Má.

Mas o live-action não virá sem polêmicas: a escolha de uma atriz latina para interpretar o papel da Branca de Neve foi bastante controversa. Além disso, para adaptar a história a um novo contexto, foram feitas mudanças como a exclusão dos sete anões.

Segundo o portal ScreenRant, a decisão veio após uma crítica do ator Peter Dinklage, o Tyrion, de Game of Thrones. O ator elogiou a decisão de escalar uma atriz latina para o papel principal, mas acusou a trama de reforçar estereótipos sobre pessoas com nanismo. "Vejam o que estão fazendo. Não faz sentido Você faz progresso de uma maneira, mas ainda está fazendo uma história retrógrada sobre sete anões vivendo em uma caverna juntos." O estúdio buscou alternativas para substituir os personagens e decidiu que eles serão representados por outras criaturas mágicas.

ESPELHO

Outras alterações foram feitas para melhor retratar a ideia de "mulheres em papéis de poder", afirmou Rachel Zegler à revista Variety. A clássica frase dita ao espelho, "existe alguém mais bela do que eu?", se tornará "alguém mais justa do que eu?" "Quando começamos a reimaginar o papel de Branca de Neve, optamos pelo ‘mais justa de todos’, o que significa que é por isso que ela pode se tornar uma líder fantástica."

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.