Maceió

Começa nova etapa de demolições de prédios no bairro do Pinheiro

Eberth Lins | 06/07/20 - 10h46 - Atualizado em 06/07/20 - 10h51
Foto: Cortesia ao TNH1

Nesta segunda-feira (06), começou mais uma etapa de demolições de prédios colapsados no bairro Pinheiro, em Maceió, localizados em área de instabilidade de solo provocada pela extração de sal-gema. Desta vez serão demolidos os blocos 10, 14, 16 e 17 do Conjunto jardim das Acácias, totalizando 96 apartamentos.

A previsão é de que o trabalho dure duas semanas, podendo terminar antes dependendo da fragilidade da estrutura dos prédios, a exemplo da etapa passada, quando outros quatros blocos foram demolidos no bairro.

O diretor de Planejamento e Redução de Risco da Defesa Civil de Maceió, Arthur Rodas, explicou quais motivos levaram o órgão municipal a solicitar a demolição dos imóveis.

"A Defesa Civil trabalha com avaliação do monitoramento, que vai no local para avaliar e quando, a exemplo desses, o prédio apresenta fissuramentos severos e está praticamente colapsado, a gente já promove o pedido de demolição, de acordo com Termo de Cooperação 3, firmado entre a Prefeitura e a Braskem”, detalhou.

(Foto: Cortesia ao TNH1)
(Foto: Cortesia ao TNH1)
(Foto: Cortesia ao TNH1)

Todos os blocos para demolição estão localizados em área já interditada pela Braskem. “Nós entramos em contato com todos os moradores por grupos de mensagem e líderes comunitários, para que pudéssemos ter a maior quantidade de reuniões com os proprietários antes de executar as demolições”, informou Rodas.

Arthur Rodas também falou sobre a previsão para demolições de novas estruturas no bairro.

"A gente tem um protocolo e dentro dele é que conseguimos mapear os novos casos. Não existe sequência, tudo depende do andamento de como estão os riscos das edificações. Caso o nosso monitoramento avalie a necessidade, a gente vai solicitar”, frisou.

"A ação da Defesa Civil é pela redução de riscos. A gente solicita pensando nos passantes e também nas edificações que estão ao lado, para que não tenham mais danos e salvaguardar vidas”, acrescentou o diretor de Planejamento e Redução de Risco da Defesa Civil.

Interdição parcial 

Para a execução das demolições, o trânsito na região está parcialmente interditado. Parte da Alameda Dr. Claudenor de Albuquerque Sampaio e da Rua Professor Mário Marroquim ficarão fechadas provisoriamente, além da manutenção do isolamento da Rua Manoel Menezes, no trecho que vai da Rua Professor Mário Marroquim até a Travessa São Benedito.

A Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito (SMTT) orienta que motoristas priorizem outras rotas durante o período de obras na região.