Alagoas

Contaminação por Covid-19 entre funcionários dos Correios preocupa sindicato

Redação TNH1 | 20/06/20 - 09h06 - Atualizado em 20/06/20 - 09h07
Cortesia ao TNH1

Pelo menos 100 funcionários dos Correios em Alagoas estariam afastados das funções, por suspeita de estarem contaminados com o coronavírus. É o que diz o Sindicato dos Trabalhadores dos Correios de Alagoas (Sintect-AL). O sindicato demonstrou preocupação com o aumento do número de casos confirmados de covid-19 entre funcionários da empresa em Alagoas. 

O presidente do Sintect-AL, Alysson Guerreiro, afirmou que a empresa não tem divulgado o número de casos e cobrou testagem dos funcionários, além de protocolos de higienização em setores onde funcionários testaram positivo.  

"Já solicitamos por parte da empresa para que ela apresentasse esses números exatos para a gente, mas, infelizmente, ela não apresenta, vem escondendo os números. A gente fez um levantamento básico dos setores aqui. Constatamos que estamos com 35 funcionários positivos para covid-19 e um número bem maior de funcionários afastados com suspeitas de covid, cerca de 100", disse Alysson Guerreiro.

De acordo com o Sintect-AL, praticamente todos os setores de entrega de correspondência dentro da capital tiveram pelo menos um confirmado. Porém, o mais crítico seria o Centro de Distribuição Domiciliária (CDD) Carlos Olimpio no Eustáquio Gomes, com 12 empregados afastados, segundo o sindicato.

Alysson Guerreiro afirmou ainda que a higienização é praticamente a mesma que existia antes da pandemia. "O sindicato acredita que a empresa deveria adotar um protocolo que desse uma segurança maior para o trabalhador, com desinfecção do ambiente em caso de algum trabalhador ter sido testado positivo e testes em todos os trabalhadores que tiveram contato com o infectado", sugeriu. 

"A gente vem cobrando por parte da empresa uma postura melhor no combate à covid. Porém, a empresa só está usando algum protocolo, graças a uma ação judicial nossa que obriga a ECT (Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos) fornecer álcool em gel. A ECT, também nos últimos dias, forneceu máscaras em virtude do decreto do governo que obriga a população a usar máscaras. Nossa preocupação é com o trabalhador, com os familiares e também com a população, já que estamos em contato direto. Não se pode deixar que os trabalhadores dos Correios sejam vetores do vírus", alertou o presidente do sindicato 

De acordo com o Sindicato dos Trabalhadores dos Correios de Alagoas, 950 pessoas trabalham na empresa no estado, sendo aproximadamente 400 carteiros. 

Em nota, os Correios disseram que estão acompanhando a situação de saúde dos empregados, prestando o apoio necessário e, também, atuando para garantir o bom funcionamento das atividades operacionais. Mas não divulgou informações com relação aos infectados ou suspeitos. "Seguindo o valor institucional de respeito às pessoas, os Correios não fornecem ou expõem informações relacionadas ao efetivo, pois geram, de maneira desnecessária, insegurança à população e aos empregados. Eventualmente, tais dados podem ser repassados apenas à autoridade médica dos órgãos responsáveis pelo monitoramento da situação de emergência e saúde pública", diz a nota.

Confira a nota na íntegra:

"Os Correios estão acompanhando a situação de saúde dos seus empregados, prestando o apoio necessário e, também, atuando para garantir o bom funcionamento das atividades operacionais. As orientações da empresa relacionadas a casos suspeitos de COVID-19 permanecem válidas, segundo as orientações sanitárias. As unidades dos Correios em Maceió estão passando por sanitização, em parceria com o Exército Brasileiro.

Cabe destacar que desde o mês de março, os Correios vêm adotando sucessivas medidas de proteção à saúde de seus empregados, clientes e fornecedores, em função da pandemia do novo Coronavírus. Além de intensificar as orientações ao efetivo quanto aos cuidados básicos de higiene e procedimentos de limpeza dos ambientes e equipamentos, todos os empregados dos Correios têm acesso a álcool em gel e máscaras laváveis. Foram instalados, ainda, painéis de acrílico em mais de 5 mil guichês de atendimento e também está sendo providenciada a vacinação contra gripe para todo o efetivo. Assim, a estatal tem garantido a prestação dos serviços postais, considerados essenciais pelo Decreto nº 10.282/2020 da Presidência da República.

Todos os centros de distribuição e as agências da capital estão funcionando, conforme as medidas de prevenção adotadas pela empresa. Nas agências, além dos serviços normalmente oferecidos, como postagem de cartas e encomendas e registro de CPF, também é possível realizar o cadastro para o Auxílio Emergencial.

Seguindo o valor institucional de respeito às pessoas, os Correios não fornecem ou expõem informações relacionadas ao efetivo, pois geram, de maneira desnecessária, insegurança à população e aos empregados. Eventualmente, tais dados podem ser repassados apenas à autoridade médica dos órgãos responsáveis pelo monitoramento da situação de emergência e saúde pública.

Os Correios lamentam eventuais transtornos à população neste momento de adversidade e adaptação de todos os setores da sociedade. A empresa reitera que está trabalhando para viabilizar, com segurança, a continuidade de suas atividades, essenciais para atender a população nesse período em que mais precisa, e segue à disposição pelos telefones 3003-0100 (capitais e regiões metropolitanas) e 0800 725 7282 (demais localidades), ou pelo Fale Conosco, no site www.correios.com.br"