Maceió

Corpus Christi será celebrado na próxima quinta sem a tradicional procissão em Maceió

Redação TNH1 com Pascom Arquidiocese | 05/06/20 - 10h14
Divulgação/Arquidiocese

Em virtude da pandemia e do isolamento social, a festa de Corpus Christi, que este ano será celebrada na próxima quinta-feira, dia 11, vai sofrer algumas alterações. Em Maceió, não haverá a tradicional procissão que percorre as ruas do Centro, enfeitadas com os tapetes.

A Arquidiocese de Maceió informou que as Santas Missas Solenes serão celebradas na Catedral Metropolitana e nas sedes de todas as Paróquias, mas estarão presentes, apenas, integrantes das equipes de liturgia e comunicação, cinco no total, conforme orientações anteriores feitas pelo Arcebispo.

Dom Antônio lembrou que as celebrações serão mais simples em todo o mundo, desde Roma passando por todas as outras Igrejas. “Aqui, em Maceió, teremos a celebração na Catedral, com adoração e bênção do Santíssimo, e, posteriormente, Santa Missa solene, com Igreja fechada, tomando parte somente os que irão servir e transmitir, ao vivo, através das redes sociais. Os fieis e suas famílias participarão de suas casas. Do mesmo modo, nas Paróquias”.

“Estamos em um tempo excepcional, inclusive a Festa de Corpus Christi passou, em outros anos, por outras pandemias. Por exemplo, São Carlos Borromeu, bispo de Milão, onde havia a peste negra, viu-se na obrigação de suspender todas as festas, inclusive grandes celebrações que se faziam na Catedral, para algo mais simples com poucas pessoas”, recordou.

A programação, no dia 11 de junho, na Catedral, será iniciada, às 15h, com Adoração ao Santíssimo Sacramento, conduzida pelo padre Elison Silva dos Santos, como representante do Congresso Eucarístico Provincial; seguida da Bênção do Santíssimo Sacramento para toda a cidade de Maceió, e, às 17h, a Missa Solene de Corpus Christi, presidida pelo Arcebispo Metropolitano.

Dom Antônio Muniz anunciou ainda que, após a pandemia, tal Solenidade será celebrada com grandiosidade e júbilo: “Daremos uma grande demonstração de fé, quando terminar a pandemia, onde celebraremos o II Congresso Eucarístico Provincial, o Centenário da Arquidiocese e o fim da pandemia”.

O arcebispo deixou uma mensagem, lembrando que, neste difícil momento, as pessoas tenham paciência e confiem na providência divina. “Quem tem a Deus, nada falta. Não saiam de casa, não venham para a rua e evitem aglomerações desnecessárias. O que o Senhor quer é que permaneçamos em casa, na Igreja doméstica, preservando a nossa saúde, que é um bem precioso, e a do irmão e da irmã, que também são bens preciosos. Nada te perturbe, tudo passa, só Deus basta”.