Alagoas

Corregedoria da PM apura denúncia de machismo contra tenente-coronel do Corpo de Bombeiros

Eberth Lins | 22/07/20 - 10h08 - Atualizado em 22/07/20 - 18h17
Reprodução Instagram

Conhecida por defender o empoderamento da mulher, em especial das mulheres militares, e compartilhar fotos mostrando a boa forma, momentos no trabalho e em família, a tenente-coronel do Corpo de Bombeiros Camila Paiva usou as redes para informar que foi vítima de machismo e desrespeitada por um major da Polícia Militar.

A denúncia gira em torno de um vídeo postado pela tenente-coronel e que foi compartilhado em seguida em um grupo de oficiais do sexo masculino, recebendo supostos comentários machistas e com palavras de baixo calão. No vídeo, Camila Paiva, que é também influenciadora digital com quase 37 mil seguidores, aparece provando um biquíni. 

Ontem (21), a tenente-coronel procurou a Corregedoria da Polícia Militar para pedir que o caso seja investigado. “Não estou expondo a Polícia Militar, não foi a corporação. Foi um homem, um oficial e ele que precisa ser responsabilizado”, frisou. As ofensas teriam sido feitas há alguns meses, mas somente agora ela teria conseguido prints das conversas para servir como prova.

“Não fui só desrespeitada como mulher, mas como oficial. O comentário foi feito em um grupo de oficiais da polícia. Um grupo de pares, subordinados  e superiores. E um subordinado se sentiu no direito de me ofender”, lamentou.

A PM confirmou ao TNH1 a investigação do caso pela Corregedoria,  “O Comando da Polícia Militar de Alagoas recebeu na manhã dessa terça-feira (21), por meio da sua Corregedoria-Geral, denúncia formalizada por Oficiala do Corpo de Bombeiros Militar de Alagoas que versa sobre machismo e desrespeito cometido por oficial da PM-AL em uma rede social não oficial da corporação. Diante dos fatos apresentados a PM-AL adotará as medidas necessárias para apuração da denúncia, reafirmando o seu respeito a todas as profissionais da Seguranca Pública”, disse a nota. 

De acordo com a tenente-coronel, não foi a primeira vez que soube de comentários desreipeitosos, mas é a primeira vez que tem como provar e pedir que o caso seja apurado oficialmente. “ A gente enquanto mulher na PM não pode postar uma foto de biquíni, é uma desonra. Quem é que não usa biquíni? Em pleno século 21 a gente ter que militar para usar, é inadmissível”, disse.

“Sempre que posto uma foto vem algum amigo para dizer que ela foi compartilhada em algum grupo. Não é a primeira vez, mas nunca dou tanta importância. Eu não sou só uma tenente-coronel. Sou um ser humano, sou mulher, sou mãe. O que acham que é besteira de grupo de homens não é uma brincadeira”, acrescentou.

Ainda na publicação, a militar reforçou que vai lutar para que o caso não seja minimizado. “Se fazem isso com uma superior hierárquica, imaginem o que fazem com uma cabo, uma soldado?  Não venham me dizer que isso é coisa de homem e que é para deixar para lá.  A gente não vai aceitar, a gente não vai se calar. Não pensem quem isso vai ficar impune, não vou ficar calada e vou incentivar todas as mulheres a não ficar em caladas. Vou buscar que a justiça seja feita e que o responsável seja punido de acordo com a legislação”, complementou.

APOIO

Na rede social, a tenente-coronel recebeu a solidariedade de internautas. “Enquanto nos silenciarmos, enquanto tratarmos esse tipo de situação como “normal”, de conversinhas em grupo, de comentários baixos, estaremos contribuindo para que isso continue existindo”, comentou uma internauta. 

“Parabéns por não se calar”, reforçou outra internauta.

No fim da tarde desta quarta-feira (22) a assessoria de comunicação do Corpo de Bombeiros de Alagoas enviou uma nota à imprensa, em nome do Comando Geral, reiterando o repúdio a todo e qualquer ato relacionada a abusos, misoginia ou preconceito de gênero, praticado contra militar ou civil dentro ou fora do âmbito castrense.

"Cabe ainda ressaltar o compromisso natural desse Comando em encaminhar para devida apuração legal e imparcial, à luz dos regulamentos, fatos do gênero que tenham ocorrido envolvendo militares da Corporação e cheguem ao conhecimento institucional por meio dos canais devidos", diz a nota.

Confira na íntegra:

NOTA DE ESCLARECIMENTO

O Corpo de Bombeiros Militar de Alagoas, enquanto instituição renomada e estimada pela sociedade alagoana, tem dentre os seus principais valores o respeito e a promoção da igualdade de gêneros.  A importância dada a esses valores se reflete em ações voltadas ao público interno e externo e, principalmente, na forma igualitária como são tratados todos os militares da Corporação pelas normas vigentes e nas práticas diárias, sejam homens ou mulheres, todos igualmente bombeiros.

Reconhecendo a importância do debate sobre o tema de igualdade de gêneros no ambiente militar, a Corporação vem promovendo anualmente há vários anos o ”Encontro Estadual das Bombeiras”, fórum importante de debates sobre o respeito ao papel da militar feminina nos quadros da Corporação, bem como a importância da justiça na igualdade de gêneros. A Corporação, inclusive, foi a pioneira sediando evento nacional sobre a temática e que, atualmente, faz parte do calendário nacional de eventos da Liga dos Corpos de Bombeiros Militares do Brasil.

A sociedade atual busca e precisa cada dia mais superar práticas e comportamentos discriminatórios e abusivos, danosos a todos e essa busca deve se refletir em ações institucionais. 

Dessa forma, o Comando Geral da Corpo de Bombeiros Militar de Alagoas vem a público reiterar, em nome dos valores da Corporação, seu repúdio a todo e qualquer ato relacionada a abusos, misoginia ou preconceito de gênero, praticado contra militar ou civil dentro ou fora do âmbito castrense.

Cabe ainda ressaltar o compromisso natural desse Comando em encaminhar para devida apuração legal e imparcial, a luz dos regulamentos, fatos do gênero quem tenham ocorrido envolvendo militares da Corporação e cheguem ao conhecimento institucional por meio dos canais devidos.