Saúde

Covid: ocupação de leitos no interior é de 72% e ultrapassa margem de segurança, diz Ufal

Eberth Lins | 09/02/21 - 12h20 - Atualizado em 09/02/21 - 14h04
Foto: Folhapress

Com a recente alta de novos casos de Covid-19 em Alagoas, houve também um aumento expressivo na ocupação de leitos destinados exclusivamente para o tratamento da doença. O último relatório do Observatório Alagoano de Políticas Públicas Para o Enfrentamento da Covid-19, divulgado nesta terça-feira (09), informou que a ocupação hospitalar no interior do estado chegou a 72%, ultrapassando a margem de segurança recomendada pelo Consórcio Nordeste. 

Se observada a ocupação em todo o estado, o número chega a 60%, isto é, um aumento de dez pontos percentuais em relação ao observado há uma semana, segundo o Observatório. Regionalmente, Maceió está com uma ocupação de 53%.

De acordo com o Observatório, nesta 5ª Semana Epidemiológica (SE) de 2021, Alagoas voltou a apresentar uma redução na incidência de casos, acompanhada pela queda no número de óbitos. O dado, no entanto, ainda não representa que a pandemia está sob controle.

"As reduções de casos e óbitos registradas ao longo da última semana são importantes, mas devem ser confirmadas ao final da atual semana para que a gente possa afirmar que retomamos uma situação de controle da transmissão. Além disso, os outros indicadores como ocupação hospitalar e casos suspeitos devem acompanhar esse movimento, o que não ocorreu até aqui, já que a ocupação está aumentando e ainda temos quase 7 mil casos suspeitos notificados", explicou o coordenador do Observatório, o pesquisador Gabriel Bádue, da Universidade Federal de Alagoas (Ufal).

Gabriel acrescentou que para se falar em controle "é preciso uma queda em um período mínimo de quatorze dias".

Na tarde dessa segunda-feira (08), o último boletim epidemiológico da Secretaria de Estado da Saúde (Sesau) confirmou mais 451 novos casos de Covid-19.  No total, Alagoas tem 121.145 casos confirmados do novo coronavírus e 6.692 casos em investigação laboratorial. Também foram registradas mais nove mortes, totalizando 2.814 óbitos causados pela doença.

"Recomendamos que as medidas de controle sejam reforçadas para reverter a atual situação de descontrole, que poderá pressionar ainda mais a demanda pelos serviços de saúde. Neste sentido, o uso da máscara, a higienização das mãos e o distanciamento social continuam sendo essenciais", trouxe o relatório da Ufal.

Na última sexta-feira (05), ao anunciar a chegada de um novo lote da CoronaVac, vacina desenvolvida pela companhia biofarmacêutica chinesa Sinovac Biotech em parceria com o Instituto Butantan, o governador Renan Filho (MDB) chamou atenção para o aumento de internações causadas pela doença. Na ocasião, em 24h foram registradas 42 internações por Covid. O número representava o dobro da média diária dos dias anteriores.