Alagoas

Criança de Pão de Açúcar se emociona com festa de aniversário em hospital, onde se recupera de espancamento

Tiago Logan* | 07/05/21 - 17h16 - Atualizado em 07/05/21 - 17h59
Reprodução

Após um longo período de maus-tratos diários, que culminou em quinze dias de internamento na Unidade de Terapia Intensiva para a realização de cirurgia e tratamentos, o menino que foi torturado pelo padrasto, no município de Pão de Açúcar, voltou a sorrir: nesta sexta-feira (7), na ala pediátrica do Hospital de Emergência do Agreste (HEA), recebeu bolo e presentes e pôde comemorar o renascimento para o seu sexto ano de vida.

Às enfermeiras, ele revelou que nunca havia tido uma festa de aniversário e que esta, mesmo que em circunstância especial, era a realização de um grande sonho seu. As imagens de sua festinha improvisada, dadas de cortesia ao TNH1, mostram uma criança alegre, com seu chapéu de aniversário, sorrindo e batendo palmas enquanto cantam parabéns.

A mãe do garoto, a dona de casa Lucineide dos Santos, de 29 anos, também se emocionou com a surpresa organizada pela equipe de enfermagem e nutrição do HEA.

"Estou muito feliz. Ele nunca teve festa de aniversário. Essa é a primeira vez ", declarou.

Segundo Elena Brandão, enfermeira do hospital, está sendo uma realização ver a cura da criança, que chegou de uma maneira dramática, mobiliziou a todos da instituição e que, após um trabalho intenso, está totalmente recuperada.

"Hoje é uma criança mais calma, mais dócil, que tem sonhos para contar, que a partir desse momento a gente crê que vai ter uma nova história, de sucesso. O sofrimento ficou para trás", destacou.

O drama do garoto

O menor deu entrada no Hospital de Emergência na noite de 21 de abril com vários hematomas, um ferimento profundo na nádega, além de suspeita de fratura no quadril. A princípio, a criança foi atendida em um posto de saúde de Pão de Açúcar sob a informação da própria mãe de que teria levado uma queda de cavalo.

A equipe médica desconfiou da versão e acionou a polícia. Indagada, a mãe confessou que, na verdade, o menino havia sido espancado pelo padrasto e que ela própria e a outra filha de 9 anos também eram vítimas do homem.

Antes de chegar no HEA, transferida de Pão de Açúcar, a criança ainda viveu momentos de tensão, após a ambulância em que ela viajava apresentar uma pane e pegar fogo. 

O padrasto da criança foi preso por policiais militares e sua prisão preventiva já foi solicitada pelo pela promotoria de Justiça de Pão de Açúcar. Ele confessou as agressões. Segundo a mãe da criança, ela e os dois filhos, o menino de 5 anos, e a menina de 9, eram constantemente espancados pelo homem. O alvo principal era o menino, por quem o homem nutria ciúmes devido ao tratamento carinhoso que a criança recebia da mãe.

*Estagiário, sob a supervisão da Editoria