Saúde

Criança que usa celular ou tablet demais tem mais chance de ter 12 tipos de câncer na fase adulta

Vix | 12/01/19 - 08h17 - Atualizado em 12/01/19 - 08h21
Criança que usa celular ou tablet demais tem mais chance de ter 12 tipos de câncer | Reprodução

Uma nova pesquisa realizada pelo Fundo Mundial para Pesquisas de Câncer fez descobertas alarmantes sobre o uso de dispositivos eletrônicos e a relação com a obesidade infantil e riscos de câncer nas crianças.

De acordo com os estudos, quanto mais tempo que o pequeno passa em frente a telas de celular, computador, tablet ou televisão, maiores as chances de sobrepeso na idade adulta e aumento de ocorrências de câncer.

Obesidade infantil associada a aparelhos eletrônicos

Segundo a pesquisadora Emily Almond, ao usar as telas de aparelhos eletrônicos as crianças ficam inativas e gastam pouca energia. E isso substitui o tempo que poderia ser despendido com atividades mais ativas fisicamente, como brincadeiras ao ar livre por exemplo - o que favorece com o ganho de peso, sobrepeso e obesidade em crianças.

As telas destes eletrônicos em si não contribuem para o aumento do peso, mas sim o estilo de vida associado a este hábito. Mexendo nestes aparelho, os pequenos se movimentam menos e, muitas vezes, consomem mais alimentos e bebidas que não são consideradas saudáveis, como salgadinhos e refrigerantes.

O estudo concluiu que as crianças obesas têm maior probabilidade de continuar com maus hábitos na vida adulta, o que colabora diretamente para aumentar os riscos de incidência de 12 tipos de câncer, entre eles, do fígado, esôfago, mama, rins, pâncreas e próstata.

Crianças não devem usar celulares e tablets

A Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) recomenda que crianças menores de 2 anos não devem ser expostas à telas digitais, tais como celulares, computadores e tablets. Especialmente durante as refeições e de uma a duas horas antes de ir para a cama.

Segundo a instituição, o uso precoce e de longa duração destes dispositivos eletrônicos pode afetar a saúde e desenvolvimento da criança, trazendo problemas que vão desde a dificuldade em socialização e ansiedade até sedentarismo e transtornos visuais.