Alagoas

Decreto: comércio reabre apenas em Maceió e com limitações a partir de sexta

João Victor Souza | 01/07/20 - 07h05 - Atualizado em 01/07/20 - 13h23
Itawi Albuquerque/TNH1

"O estado muda a bandeira de Maceió de vermelha para laranja". A declaração do governador de Alagoas Renan Filho, em entrevista coletiva à imprensa nessa terça-feira (30), confirmou o novo passo dado em relação ao distanciamento social controlado estabelecido pelo Estado para combater a covid-19. A partir de sexta-feira (03), as atividades do setor produtivo da capital devem abrir as portas, com restrições.

CLIQUE AQUI E VEJA A PUBLICAÇÃO NO DIÁRIO OFICIAL DO ESTADO

A renovação do decreto de emergência trouxe o avanço para a fase laranja apenas para os moradores de Maceió, onde vai ser permitido a retomada de alguns serviços considerados não essenciais para a população. No interior, tudo continua como antes, e ambas as regiões devem seguir com o cumprimento das medidas sanitárias já recomendadas pelos órgãos de saúde. 

Confira as regras específicas de cada setor – que devem ser aplicadas junto com as regras gerais:

Salões de beleza e barbearias: Têm funcionamento permitido a partir da redução do quadro de funcionários em 50%, sendo os atendimentos exclusivamente agendados – com intervalo de 30 minutos entre eles – e higienização obrigatória de equipamentos e estação de trabalho a cada troca de cliente.

Lojas e estabelecimentos de rua: Que pratiquem comércio ou serviço de natureza privada, exceto shopping centers e galerias. Contudo, ficam proibidos o uso de provadores nestes estabelecimentos.

Igrejas, templos e demais instituições religiosas: Deverão disponibilizar cadeiras e bancos para uso individualizado e bloquear dispensadores de água benta ou outro elemento de consagração de uso coletivo. Os espaços destinados à recreação de crianças devem permanecer fechados e os bancos coletivos reorganizados e demarcados para garantir a distância mínima entre as pessoas.

'É fundametal a participação do cidadão e do setor produtivo. Não é so abrir as portas. É  abrir as portas sabendo que tem um protocolo a cumprir", frisou o governador.

A reabertura desta parte do comércio só será possível na sexta-feira devido ao decreto municipal que tem validade até o dia 2 de julho.