Polícia

Delegada vai ouvir funcionários suspeitos de discriminação contra casal transexual

Redação TNH1 | 09/09/19 - 16h28 - Atualizado em 09/09/19 - 17h47
Maria Maciel

A titular da Delegacia da Mulher, delegada Cássia Mabel, vai ouvir, no próximo dia 19, os funcionários de um supermercado localizado no Tabuleiro, suspeitos de discriminação contra a transexual Denise Dayse e o companheiro dela, que também é transexual. Na ocasião deve ser lavradoum Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO).

Na tarde desta segunda-feira, acompanhada por representantes do Grupo Gay de Alagoas (GGAL), Danise Dayse esteve na Delegacia da Mulher, no bairro Santa Lúcia, para fazer o Boletim de Ocorrência.

Ela prestou depoimento e contou que foi agredida moralmente por dois funcionários, que teriam feito comentários preconceituosos enquanto o casal fazia compras no supermercado.

Em entrevista à repórter Maria Maciel, da TV Pajuçara, a delegada Cássia Mabel, disse tratar-se, neste caso, de um crime de injúria, já que homofobia não pode ser tipificada como crime, embora o Supremo Tribunal Federal (STF) tenha determinado no último mês de junho que esse tipo de crime passe a ser punido pela Lei de Racismo.

O GGAL informou, por meio do presidente da entidade, Nildo Correia, que vai solicitar à delegada Cássia Mabel que o o caso seja enquadrado como homofobia.

Segundo Nildo Correia, somente este ano, o GGAL já recebeu 102 denúncias de agressões verbais e físicas a pessoas LGBT.