Polícia

Delegado divulga trechos de depoimento de foragido na Operação Navalha

Juarez José da Silva aparece em outro vídeo onde acusa os delegados Fábio Costa e Thiago Prado de tortura

12/11/19 - 17h03 - Atualizado em 13/11/19 - 07h14

O delegado Fábio Costa divulgou, na tarde desta terça-feira, 11, por meio de lista de transmissão do Whatsapp, dois vídeos de trechos do depoimento de Juarez José da Silva, que é foragido da Justiça. Ele tem mandado de prisão preventiva expedido, mas não foi encontrado, durante a segunda fase da Operação Navalha, nessa segunda-feira, 11. Juarez é o homem que aparece em outro vídeo divulgado nas redes sociais no qual acusa os delegados Fábio Costa e Thiago Prado de o terem torturado e espancado durante um depoimento, dentro da sede da  Divisão Especial de Investigações e Capturas (Deic).

Nos vídeos, Juarez responde perguntas do delegado Fábio Costa e confirma a participação em ações criminosas. Ele cita os policiais civis Max e Glauco, além do policial militar identificado como Vaqueirinho. Max é um dos presos na Operação Navalha, suspeitos de extorsão. Nos vídeos, Juarez confirma que era responsável por apontar os alvos para as ações do grupo e diz que mantinha contato diretamente com o policial Max.

"O interrogatório, registrado em vídeo do início ao fim, demonstra claramente que a tomada de depoimento do suspeito transcorreu sem o cometimento de absolutamente nenhum excesso. O registro, de aproximadamente 30 minutos, foi disponibilizado na íntegra para o Conselho de Segurança e também para a 17 vara criminal. Ao contrário do que o suspeito afirma em vídeo amplamente divulgado, o depoimento assinado por Juarez é exatamente o mesmo que consta na gravação, afastando sem deixar qualquer margem de dúvida, a alegação de que assinou o termo sem saber o que estava escrito ou que não falou o que está formalizado no inquérito policial", escreveu o delegado Fábio Costa, em texto que acompanha os vídeos divulgados.

Em entrevista à TV Pajuçara, na manhã desta terça-feira, ele já havia classificado a denúncia de "descabida e fantasiosa".

Nessa segunda-feira, 11, quatro agentes da Polícia Civil de Alagoas foram presos de extorsão e de integrar uma organização criminosa com atuação em feiras de Maceió. Gabriel Yuri Gomes dos Santos Rocha, Samarone Mendes Gonçalves, Austerlígenes da Silva Souto e Max Antônio de Andrade, foram alvos de mandados de prisão preventiva resultantes do desdobramento da Operação Navalha. Além de Juarez, a policial Laryssa Manuela Magalhães da Silva (que já estava presa) também teve prisão preventiva decretada

Veja o vídeo:

"