Saúde

Empresa envolvida em fraude na venda de respiradores também não entregou equipamentos em Alagoas

Redação TNH1 com Correio 24 horas | 01/06/20 - 13h11 - Atualizado em 01/06/20 - 19h38
Adriana Oliveira/ TV Bahia

O Governo de Alagoas é uma das vítimas da fraude na venda de respiradores, cujo esquema criminoso foi alvo da operação Ragnarok, que cumpriu três mandados de prisão e de busca e apreensão em Salvador, São Paulo, Rio de Janeiro e no Distrito Federal, contra uma quadrilha que fraudou a venda dos equipamentos hospitalares.

O Governo de Alagoas informou no final da manhã desta segunda-feira (1º) que adquiriu 30 respiradores pelo Consórcio Nordeste, que é presidido pelo governo da Bahia. De acordo com a Secretaria de Estado da Saúde de Alagoas (Sesau), os equipamentos não chegaram a ser entregues e o governo será ressarcido.

Uma operação foi deflagrada hoje contra a fraude na venda de equipamentos hospitalares contratados pelo Consórcio. 

Os detalhes serão dados pelo secretário da saúde, Alexandre Ayres, em uma coletiva de imprensa online, no final da tarde de desta segunda-feira, 01. 

A empresa contratada pelo Consórcio Nordeste foi alvo da operação Ragnarok, que cumpriu três mandados de prisão e 15 de busca e apreensão em Salvador, São Paulo, Rio de Janeiro e no Distrito Federal, contra a quadrilha que fraudou a venda de equipamentos hospitalares. O grupo foi descoberto graças à denúncia do Consórcio, que tentou adquirir 300 respiradores para o combate ao Coronavírus com a empresa.

O estabelecimento se apresentava como revendedor dos produtos. De acordo com as investigações, a empresa tentou negociar de forma fraudulenta com vários setores no país, entre eles os Hospitais de Campanha e de Base do Exército, ambos em Brasília.