Maceió

Estudantes deixam escola após surgimento de rachaduras, denuncia aluna

TNH1 | 13/02/19 - 12h53 - Atualizado em 13/02/19 - 18h50

Alunos da Escola Estadual José Correia Titara, no Cepa, estão preocupados com o surgimento de rachaduras no prédio. A unidade de ensino está localizada na área laranja do bairro Pinheiro, isto é, apresenta médio risco, segundo mapeamento realizado por pesquisadores do Serviço Geológico do Brasil (CPRM).

De acordo com uma estudante, que pediu para não ser identificada, as rachaduras começaram na biblioteca e se estenderam para as salas de aula.

“As rachaduras estão cada vez maiores e muitos alunos até já saíram com medo de acontecer alguma coisa”, lamentou.

Rachaduras na escola estão cada vez maiores, segundo aluna. Foto: Cortesia ao TNH1

A estudante também disse que a comunidade escolar sente falta de mais informações sobre como proceder num caso de maior gravidade diante do fenômeno. “Gostaríamos de saber se é para os alunos também participarem do simulado, por exemplo. Eu acho que deve, mas quem tem que dizer se sim ou não e como isso vai ocorrer são os gestores”, acrescentou.

Procurada, a Secretaria de Estado da Educação (Seduc) informou que enviou um ofício à Defesa Civil para saber se é necessário evacuar o prédio preventivamente.

Por meio de nota, a Prefeitura de Maceió informou que técnicos da Defesa Civil Municipal estiveram na escola nesta quarta-feira (13) e inspecionaram o local. Confira a nota na íntegra abaixo:

A Defesa Civil de Maceió informa que técnicos estiveram hoje (13) na Escola Estadual José Correia da Silva Titara para avaliar o registro de ocorrência de fissuras na unidade. Após inspeção, que foi acompanhada por engenheiros da Secretaria de Estado da Educação, os técnicos municipais encaminharam a ocorrência para técnicos do Serviço Geológico do Brasil (CPRM) para que uma vistoria seja agendada a fim de constatar se as fissuras têm ou não relação com a situação registrada no bairro Pinheiro.

Assista à reportagem da TV Pajuçara: