Maceió

Exclusivo: mãe de Rhaniel Pedro revela ameaça de morte e diz que precisou mudar de residência

Ana Patrícia falou com exclusividade ao programa Fique Alerta, da TV Pajuçara

TNH1 com TV Pajuçara | 15/09/21 - 13h44 - Atualizado em 15/09/21 - 14h17

A mãe do menino Rhaniel Pedro, que tinha 10 anos e foi encontrado morto próximo à casa onde morava, em uma calçada, no bairro do Clima Bom, em Maceió, revelou que precisou deixar o bairro porque estava sofrendo ameaça de morte. Em depoimento exclusivo ao Fique Alerta, da TV Pajuçara, ela falou do drama da perda filho, encontrado morto no dia 13 de maio deste ano.   

Em quase três minutos de gravação, Ana Patrícia se emociona ao lembrar do filho e a relatar que algumas pessoas a responsabilizam pela morte do menino, inclusive, fazendo ameaças. Assista: 

"Sou Patrícia, mãe de Rhaniel Pedro. Venho aqui dizer a vocês que faz tempo que não mostro o meu rosto, não porque eu não queria, mas sim a cobrança de todos que estão julgando e me criticando. Ontem fez quatro meses que meu filho foi assassinado e até hoje a gente não tem resposta nenhuma. Sofro muito com a perda do meu filho e até hoje nenhuma solução. Minha gente, parem de dizer que fui eu que matei o meu filho, parem de dizer que fui eu a culpada. Eu vi o meu filho! Eu vi o meu filho sair de casa. Eu arrumei a bolsinha dele, eu dei um beijo nele, ele me deu a 'bença': "Tchau, mamãe". Bateu o portão e até hoje ele não voltou", desabafou Ana Patrícia, que vestia uma camisa em homenagem a Rhaniel. 

"No dia que eu cheguei, eu fui embora para Pernambuco com o Alfredo Gaspar (secretário de Segurança Pública de Alagoas), quando a gente chegou no meio do caminho foi que viemos saber que o menino estava morto. Eu não aguento mais isso. Parem de estar me caluniando, de dizer que eu sou culpada, parem de estar dizendo que eu tenho que morrer. Já foram a familiares meus mandar recado, vai um e vai outro dizendo que se me encontar na rua vai me matar, que eu mereço morrer, que o menino morreu. Eu sei que meu filho não vai voltar. Eu peço a ajuda de vocês, minha gente. As autoridades que me ajudem a desvendar o mistério da morte do meu filho. Isso não pode acontecer. Eu sou a mãe, a única, a única que faria de tudo para ter meu filho de volta". 

Ana Patrícia também cobrou resposta das autoridades que investigam o caso. 

"Não aguento, minha gente. Parem de estar apontando o dedo, parem de estar dizendo coisas que não sabem. Vocês não sabem realmente o que aconteceu, eu não sei o que aconteceu, a polícia ainda não sabe o que aconteceu. Está em investigação, até agora ninguém foi preso. Tem suspeitas? Tem, mas eles não divulgam. A imprensa fica em cima, mas também não tem resposta. Se eu pudesse dar a minha vida para trazer o meu filho de volta, eu faria isso, sim, porque sou uma pessoa trabalhadora. Eu faria de tudo, tudo. Tudo que eu não tive na minha infância, eu fiz para dar ao meu filho o melhor, escola boa, lanche bom, um quartinho para ele. As pessoas olham para mim de jeito estranho, ficam me ameaçando, dizendo que aonde me encontrar, vão me matar, vão me degolar, porque meu filho morreu e eu ajudei. Eu não sou uma assassina! Eu não sou essa pessoa. Eu não sou essa pessoa. Eu tive que sair sim do bairro Clima Bom", lamentou.