Interior

Filho de PM diz que foi obrigado a correr enquanto bandidos atiravam em sua direção

06/02/17 - 10h30 - Atualizado em 06/02/17 - 10h41

O filho do policial aposentado sargento Gilvan, baleado em um assalto na rodovia AL-115, na manhã desta segunda-feira (6), na divisa entre Alagoas e Pernambuco, contou detalhes da ação dos bandidos e como eles renderam toda a família, quando o grupo seguia para Caruaru.

Em entrevista à Rádio Pajuçara FM - Arapiraca na Unidade de Emergência do Agreste, ele revelou que, enquanto seus pais e sua namorada fugiam, os bandidos o ameaçaram e o mandaram correr enquanto tentavam atirar nele.

“Cada um correu para um lado, mas eles conseguiram me parar, apontaram a pistola na minha cabeça e me ameaçaram. Eles me mandaram correr, e quando o fiz, começaram a atirar contra mim, mas não acertaram”, relata.

O ataque aconteceu na madrugada desta segunda-feira, quando os criminosos se aproximaram em uma Ranger branca, encostaram no carro do policial e sinalizaram com luz alta. Com o sargento, a esposa, o filho e a nora ainda no carro, os bandidos trancaram o veículo e deram um disparo.

Eles conseguiram entrar no carro e abrir as portas do motorista e do passageiro do lado do motorista. Gilvan atirou, mas o bandido que estava dentro do carro o acertou com quatro tiros deixando-o no chão. De acordo com o filho, o sargento ainda conseguiu lutar com um dos assaltantes enquanto estava no chão.

Em seguida, toda a família fugiu por um matagal. Os assaltantes não conseguiram ligar o veículo, que era automático, e o jogaram em uma ribanceira, para dificultar o resgate.

O sargento e a esposa foram levados para a Unidade de Emergência, onde estão em estado estável. A nora do PM passa bem e já está em casa. Os assaltantes levaram apenas o relógio e a pistola do policial.