Maceió

Fiscalização apreende carnes estragadas e equipamentos enferrujados no Mercado da Produção

TNH1 com TV Pajuçara | 23/04/21 - 09h00 - Atualizado em 23/04/21 - 12h13
Bruno Protasio/TV Pajuçara

Mais uma fiscalização da Vigilância Sanitária em mercado público foi realizada na capital alagoana na manhã de hoje, 23. Desta vez, a ação que envolve órgãos da Prefeitura aconteceu no Mercado da Produção, no bairro de Levada. Cerca de 100 quilos de carne estragada, freezers enferrujados, isopores danificados e outros materiais foram recolhidos.

Há dez dias, a fiscalização esteve no mercado público do Tabuleiro, onde flagrou aproximadamente 300 quilos de carnes impróprias para consumo, além de equipamentos com más condições de uso.

Nesta sexta, as equipes apreenderam freezers em uma sala do mercado da Levada. Os eletrodomésticos estavam enferrujados, e mesmo assim eram usados para armazenar alimentos vendidos pelos comerciantes do local. Muitos isopores com péssimas condições também foram recolhidos.

Ao todo, a Vigilância Sanitária retirou 1 mil toneladas de equipamentos do mercado. Já os 100 quilos de carne de boi estragados pertenciam a um só comerciante.

Antes do início da operação, o coordenador-geral da Vigilância Sanitária, Airton dos Santos, conversou ao vivo com a reportagem do programa Balanço Geral Alagoas, da TV Pajuçara, e destacou a importância da fiscalização para os comerciantes se adequarem ao que determina o Código Sanitário.  

"Hoje vamos fazer apreensão de freezers, isopores, balanças, facas, tábuas, e consequentemente de carnes que não estão em boas condições", adiantou.

"Em caso de alimentos fora do prazo de validade, o comerciante pode ser notificado e receber uma multa que varia de R$ 180 a R$ 19 mil. Os consumidores de Maceió precisam ajudar a Vigilância Sanitária, eles são os melhores fiscais", continuou Airton dos Santos. 

O trabalho de hoje foi iniciado por volta das 7h com duração até as 11h. 

Fiscalização

O foco da ação é o cumprimento do Código Sanitário pelos comerciantes, a verificação das condições dos equipamentos utilizados e do armazenamento de alimentos, bem como de seus prazos de validade.

Além da Vigilância Sanitária, a fiscalização teve a participação da coordenação executiva do gabinete do prefeito, e equipes da Secretaria Municipal do Trabalho, Abastecimento e Economia Solidária (Semtabes) e da Secretaria Municipal De Segurança Comunitária E Convívio Social (Semscs).

As denúncias podem ser feitas através do número de telefone (82) 3312-5496. O anonimato é garantido.