Interior

Fraude ao Minha Casa, Minha Vida em Alagoas deu prejuízo de R$ 220 mi à Caixa

Funcionários da Caixa Econômica, contadores e donos de construtoras estariam envolvidos em esquema no município de Teotônio Vilela

28/04/16 - 07h41 - Atualizado em 28/04/16 - 12h36
Arquivo

Cerca de 200 agentes da Polícia Federal em Alagoas participaram de uma megaoperação, batizada de Cabala, para prender 40 envolvidos em um esquema de fraude ao programa "Minha Casa, Minha Vida", que ocorria no município de Teotônio Vilela. A ação criminosa teria lesado a Caixa Econômica Federal em R$ 220 milhões.

http://www.tnh1.com.br/noticias/noticias-detalhe/imoveis-foram-vendidos-varias-vezes-para-pessoas-diferentes-em-alagoas-entenda/?cHash=ad4f1fb380c58352b04089aa755c60ac

ENTENDA O ESQUEMA

A operação foi iniciada nas primeiras horas da manhã desta quinta-feira (28). Foram conduzidos para prestar depoimento na sede da Polícia Federal no Jaraguá, em Maceió, cinco funcionários da Caixa Econômica Federal, 11 proprietários de construtoras e quatro contadores.


Segundo a PF, os suspeitos estariam envolvidos no esquema de fraude de documentos para compra e venda de 2 mil imóveis, com a ciência dos compradores. Os donos de construtoras ofereciam dinheiro para que as pessoas comprassem as casas, fazendo incluir essa vantagem indevida no valor de venda dos imóveis, mas não entregavam os imóveis.

A PF em Alagoas recebeu o apoio de agentes de  Pernambuco, Bahia, Sergipe, Paraíba e Rio Grande do Norte para cumprir 27 mandados de busca e apreensão, 27 mandados de sequestro, e detenção de 40 pessoas envolvidas nas fraudes, que serão ouvidas. 

PRÓXIMOS PASSOS

As investigações avançam. O próximo passo da Operação Cabala é ouvir os funcionários da prefeitura daquele município e responsáveis pela concessão das licenças de construção e “Habite-se”, uma vez que há uma proximidade de datas entre elas não compatível com o prazo necessário para a construção de uma casa.

Também serão ouvidos os engenheiros responsáveis pela avaliação dos imóveis, tendo em vista que há indícios de que os engenheiros tenham avaliado imóveis sem que eles sequer tivessem sido construídos.

Caso seja comprovado o envolvimento dos presos, eles serão indiciados pelos crimes de formação de quadrilha, falsidade ideológica, uso de documento falso, corrupção ativa, corrupção passiva e estelionato qualificado.

Os veículos dos envolvidos estão sendo apreendidos, visando a posterior alienação e, por conseguinte, com o dinheiro obtido, ser possível amenizar o prejuízo sofrido pela Caixa.

Cabala significa tramoia, fraude.