Saúde

Fumantes podem se inscrever para tratamento contra vício no H.U. até hoje

03/02/17 - 06h48 - Atualizado em 03/02/17 - 07h07

A Coordenação dos Núcleos de Cessação do Tabagismo da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) e o Hospital Universitário (HU) estão com inscrições abertas até esta sexta-feira (3) para a formação de uma nova turma do Programa de Controle do Tabagismo, iniciativa que tem como objetivo auxiliar pessoas que desejam abandonar o vício do fumo. Estão sendo disponibilizadas 60 vagas.

De acordo com a coordenadora dos Núcleos, Gilda Teodósio, há uma procura bastante significativa em todos os locais onde é disponibilizado o serviço. Na parte alta da cidade, além do HU, os usuários têm o serviço à disposição nas unidades de saúde Dídimo Otto Kummer e Dr. Aliomar Lins, ambas no Benedito Bentes. Além destes locais, os Núcleos também contam com atendimento no 2º Centro de Saúde, na Praça da Maravilha (Poço), no Caps Ad Everaldo Barbosa (Farol), na Uncisal (Trapiche) e no Hospital Portugal Ramalho (Farol).

“Em todos esses locais, uma equipe multidisciplinar garante suporte necessário durante os seis meses de tratamento, que vai reduzindo a frequência de reuniões e a quantidade de nicotina no adesivo, de acordo com a adaptação do organismo do paciente nesse processo”, explicou.

As equipes dos Núcleos que atuam junto aos grupos são compostas por fisioterapeutas, assistentes sociais, enfermeiros, psicólogos, nutricionistas e médicos. Os grupos de fumantes têm reuniões semanais, que depois passam a ser quinzenais, com duração de uma hora e meia. Uma equipe multidisciplinar utiliza a metodologia preconizada pelo Instituto Nacional de Câncer (Inca) do Ministério da Saúde.

A nova turma tem previsão de começar de imediato, por isso, os interessados devem se apressar. As inscrições estão sendo realizadas no próprio Núcleo do HU e para garantir uma vaga, os interessados devem levar xerox do RG, do CPF, de um comprovante de residência recente e do Cartão SUS.

Estimativas

O tabagismo é considerado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) como a principal causa de morte evitável no mundo. A organização estima que um terço da população mundial adulta, isto é, cerca de um bilhão e 200 milhões de pessoas, seja de fumantes.

O Inca indica que no Brasil morrem cerca de 200 mil pessoas todos os anos em consequência do hábito de fumar. Há 10 anos foram atribuídas ao tabagismo cerca de 180 mil mortes de brasileiros de 35 anos ou mais. As quatro principais causas de morte relacionadas ao tabagismo foram doença pulmonar obstrutiva crônica, doença isquêmica do coração, câncer de pulmão e doenças cerebrovasculares.

Estímulos positivos

Pesquisas realizadas pelo Inca apontam que após 20 minutos sem fumar, a pressão arterial e a pulsação voltam ao normal (fumar acelera o coração e aumenta a pressão arterial). Em apenas oito horas sem as substâncias nocivas do tabaco, o nível de oxigênio no sangue se normaliza. Em dois dias, a capacidade de sentir o cheiro das coisas e o sabor da comida melhora.

Depois de duas semanas e até três meses sem cigarro, a circulação melhora, fica mais fácil caminhar e a função pulmonar aumenta. Depois de largar o vício por mais de cinco ou 15 anos o risco de infarto reduz ao nível das pessoas que nunca fumaram.