Cultura

Fundação Palmares exclui 27 negros de lista de personalidades homenageadas

"Minha solidariedade a todos que sofreram perseguição ideológica e foram excluídos da lista de Personalidades Negras da Fundação Palmares", disse o apresentador Luciano Huck

Folhapress | 04/12/20 - 10h13
Foto: Reprodução / Instagram

A Fundação Cultural Palmares, órgão ligado ao governo federal que tem por atribuição valorizar a produção de negros brasileiros e combater o racismo, publicou em seu site nesta quarta-feira (2) uma nota afirmando que 27 nomes foram retirados de uma lista de personalidades homenageadas.

As deferências vêm de governos anteriores ao do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e incluem artistas, políticos e esportistas, entre outros. Saíram do grupo a deputada federal Benedita da Silva (PT), a escritora Conceição Evaristo, os cantores Elza Soares, Gilberto Gil e Martinho da Vila e a ex-senadora da Rede Marina Silva (veja abaixo a lista completa). A exclusão dos nomes gerou protestos nas redes.

"Minha solidariedade a todos que sofreram perseguição ideológica e foram excluídos da lista de Personalidades Negras da Fundação Palmares. O brilho de vocês ninguém apaga. Esta onda negacionista está passando. Restará o esquecimento", publicou o apresentador Luciano Huck.

Presidente da Palmares, Sérgio Camargo respondeu às críticas em rede social e confirmou a medida, resultante de uma portaria que restringe homenagens a pessoas que já morreram. A Justiça Federal da 1ª Região deu cinco dias para que ele explicasse a decisão.

"Para que pessoas sejam reconhecidas em vida, novas homenagens, premiações e diplomas devem ser divulgados pela Fundação, em breve", prossegue a nota no site da fundação.

Não estão na lista divulgada por Camargo nomes como os do transformista Madame Satã e do político e guerrilheiro Carlos Marighella, que ele classifica como marginais. O presidente da Palmares afirma na internet, porém, que essas nomes também foram excluídos.

"Tinha o triplo homicida Madame Satã e políticos de esquerda, mas Pixinguinha estava relegado ao esquecimento na Palmares", disse, em publicação em rede social. "Os cidadãos pretos do Brasil têm honra e valores. Não lutam por bandidos", prossegue.

Camargo ficou conhecido por defender posições polêmicas, como a de que a escravidão teria sido benéfica aos negros brasileiros.

"Não vai ficar assim! Vamos reverter essa decisão canalha na Justiça! O único nome que será esquecido será o dessa figura quando deixar a presidência da Palmares", publicou em redes sociais o advogado e professor Marivaldo Pereira.

A lista de homenageados da Palmares ganhou oito nomes: o comediante Mussum, a atriz Jacira de Almeida, o policial Luiz Paulo Costa Silva, o cantor Wilson Simonal, o militar Marcílio Pinto, o atleta João do Pulo e os compositores Pixinguinha e Luiz Melodia.

Os nomes foram divulgados pelo presidente da Palmares acompanhados do texto: "é preciso relevância, mérito e caráter. A lista de Personalidades Negras Notáveis passa a prestar homenagens póstumas. Todos os que foram excluídos podem voltar um dia, pelo critério da contribuição histórica. Basta merecer".

A medida de Camargo também teve repercussão no Senado, onde se debate medida para barrar a decisão na Palmares. "Os senadores deveriam dar prioridade aos projetos que são fundamentais para o povo e para o Brasil, em vez de se preocupar com uma lista e sair em defesa dos egos feridos da Benedita, Marina Silva e demais excluídos pela Palmares, com base em portaria", escreveu Camargo.

NOMES EXCLUÍDOS DA LISTA DE PERSONALIDADES NEGRAS DA FUNDAÇÃO PALMARES

Ádria Santos (atleta)

Alaíde Costa (cantora e compositora)

Benedita da Silva (deputada federal, PT-RJ)

Conceição Evaristo (escritora)

Elza Soares (cantora)

Gilberto Gil (compositor e cantor)

Givânia Maria da Silva (educadora)

Janete Rocha Pietá (arquiteta e política)

Janeth dos Santos Arcain (esportista)

Joaquim Carvalho Cruz (atleta)

Jurema da Silva (política)

Léa Lucas Garcia de Aguiar (atriz)

Leci Brandão (cantora)

Luislinda Valois (jurista e política)

Marina Silva (política)

Martinho da Vila (cantor e compositor)

Milton Nascimento (cantor e compositor)

Paulo Paim (senador, PT-RS)

Petronilha Beatriz Gonçalves e Silva (pesquisadora)

Servílio de Oliveira (sindicalista e político)

Sueli Carneiro (filósofa e escritora)

Terezinha Guilhermina (atleta)

Vanderlei Cordeiro de Lima (atleta)

Vovô do Ilê (fundador do primeiro bloco afro da Bahia)

Zezé Motta (atriz e cantora)