Alagoas

Governo alega economia sobre não nomear parte dos comissionados do Estado

Erik Maia | 12/03/19 - 13h31 - Atualizado em 12/03/19 - 13h31
Renan Filho falou sobre a não nomeação de parte dos comissionados na sua segunda gestão | TNH1/ Erik Maia

O governador Renan Filho justificou como economia e racionalidade a não nomeação de parte dos comissionados exonerados no início do mandato, para ocupar cargos disponíveis em secretarias estaduais. A explicação foi dada após a cerimônia de posse do novo secretário de Agricultura de Alagoas, o ex-governador Ronaldo Lessa, na manhã desta terça-feira (12) na sede do Palácio do Governo, em Maceió.

Em algumas secretarias estaduais de Alagoas, a exemplo da Secretaria de Estado da Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti) e da Fundação de Amparo a Pesquisa (Fapeal), poucos ou nenhum comissionado foi designado para os postos.

Na Fundação de Amparo a Pesquisa, a Fapeal, apenas o presidente foi nomeado. Já na Secti, o secretário e alguns cargos de chefia foram ocupados, mas ainda há funções vagas.

De acordo com o governador, em nenhuma delas há prejuízos no atendimento à população. “As secretarias de ponta, de serviço na ponta, estão com 100% dos seus servidores na ativa, mas eu não vou pecar por excesso. Ao contrário, a minha marca é economia, é racionalidade, é gastar o dinheiro que o Estado pode gastar”, justificou.

Ainda assim, o governador confirmou que em nenhuma das secretarias há 100% de comissionados nomeados.

“Cem porcento completa talvez não tenha nenhuma. Aliás, o cidadão recomenda que a gente nomeie o mínimo de cargos comissionados”, alegou. “Por isso que, nessa crise, o Brasil quebrou e a gente está vivo”, concluiu.

Serviços

Consultada pela reportagem, a Fapeal informou por meio da assessoria que a principal demanda da Fundação não está prejudicada e que o pagamento dos bolsistas já havia sido realizado duas vezes este ano, conforme previsto em calendário. No entanto, “há outras atribuições que devem retomar seu ritmo normal a partir da nomeação de 16 comissionados”, pontuou.

Já a Secti informou que ainda não há previsão para que os comissionados sejam nomeados.

A Secretaria de Estado do Gabinete Civil informou, também por meio de assessoria, que não há como mensurar quantos comissionados faltam ser nomeados nas secretarias que compõem o executivo estadual, mas afirmou que o governador tem publicado no Diário Oficial listas de nomeações quase diariamente.