Polícia

Homem confessa que asfixiou a tia e ateou fogo a residência em Rio Largo

Redação TNH1 | 03/02/20 - 18h14 - Atualizado em 04/02/20 - 09h59

O delegado Lucimério Campos, da Delegacia de Homicídios de Rio Largo, confirmou que o incêndio na residência onde foi encontrado o corpo da comerciante Cícera Oliveira, de 53 anos, em Rio Largo, no último dia, 17, foi criminoso.

Segundo o delegado, o autor é o sobrinho da vítima, cuja identidade não foi revelada. Ele teria sido flagrado por Cícera Oliveira no momento em que furtava pertences na residência.

Para não ser denunciado e preso, ele asfixiou a própria tia, arrastou-a para um cômodo, ateou fogo à residência, e depois fugiu. O corpo de Cícera só foi localizado depois que os bombeiros controloram as chamas.

"Ele já havia furtado uma quantidade em dinheiro da casa. Sabia que a família, que é comerciante, guardava dinheiro na residência", disse o delegado Lucimério Campos, ao afirmar que a polícia já suspeitava do sobrinho da vítima, que usava nos últimos dias pertences da vítima.

Uma das principais evidências são imagens de câmeras de segurança que fazem uma linha do tempo da presença do suspeito, que possuía uma cópia da residência sem o conhecimento da família. O que pode comprovar outros furtos praticados por ele à residência.

Ao ser chamado para depor, diante das evidências que já haviam contra ele, o suspeito decidiu confessar o crime. Segundo o delegado, o suspeito foi liberado após a confissão, pois ainda não havia mandado de prisão contra ele.

“Já solicitamos o mandado e estamos aguardando para fazer a prisão”, concluiu o delegado.